Vitamina E e sua função antioxidante

por Nutricionista Glaucia Figueiredo Justo - CRN4 09100413

Vitamina E

Hoje em dia muito se fala sobre as vitaminas antioxidantes e a mais comentada é a vitamina C. Entretanto outras possuem a mesma função e estão amplamente distribuídas nos alimentos. Quero destacar nesse texto a vitamina E, pouco conhecida popularmente  porém, muito discutida no meio científico.

Vitamina E é o termo genérico empregado para designar 8 compostos lipossolúvies, ou seja, compostos solúveis em lipídios, ou gorduras. Se apresenta como um óleo viscoso, amarelo claro sem cheiro. O nome da vitamina E é tocoferol, sua origem  grega  significa : Tocos= nascimento  e Fero= promover, ou seja, vitamina que promove o nascimento. Isso se deve ao fato da sua descoberta ter ocorrido pela deficiência de tal nutriente em ratas estéreis. Quando a vitamina E era reintroduzida na alimentação dessas ratas elas voltavam a ser férteis.

Porém a atividade mais conhecida da vitamina E não está relacionada com a fertilidade, mas sim com seu potencial antioxidante. Mas antes de mergulhar nessa função da vitamina E cabe conhecer o que é essa atividade antioxidante.

Na natureza alguns compostos podem provocar lesões nas células, principalmente nas membranas que envolvem as células. Tais substâncias lesivas são chamadas de radicais livres e são produzidas naturalmente, até pela nossa respiração. Essas substâncias oxidam a membrana celular causando danos e podem levar a morte da célula. Entra então em ação a substância antioxidante, capaz de se oxidar “protegendo” a célula da oxidação.

Assim a vitamina E é conhecida como um antioxidante biológico capaz de proteger nossas células os efeitos nocivos dos radicais livres, protegendo principalmente as estruturas lipídicas das membranas celulares. Sua ação pode ser aumentada quando atua em conjunto com o mineral selênio.

Há outras funções da vitamina E como prevenção à aterosclerose  que é uma doença inflamatória crônica com formação de ateromas dentro dos vasos sanguíneos. A Vit. E atua reduzindo a agregação das plaquetas que inicia o processo da aterosclerose.

A vitamina E também retarda o envelhecimento precoce pois, protege nossas células da morte prematura e conserva sem lesões o material genético.

A vitamina E é absorvida no intestino junto com as gorduras proveniente da alimentação, e sofre o processo metabólico do mesmo modo.

A necessidade nutricional para homens e mulheres adultos é de 12 mg por dia, para mulheres durante a lactação aumenta para 16 mg por dia.

Para indivíduos que são fumantes, vivem em ambientes poluídos ou estão expostos a outras fontes de radicais livres as necessidades individuais desse micronutriente pode aumentar.

Porém em quais alimentos podemos encontrar a vitamina E?

Esta vitamina está amplamente distribuidas nos alimentos, principalmente em óleos vegetais como de girassol, algodão, milho, soja, azeite de dendê.  Também está presente nas verduras como alface, agrião, espinafre e couve, nos alimentos de origem animal como ovos, manteiga, carne, entre outros.

Cabe destacar que no óleo de girassol, em cada 100 gramas encontramos 42,5 mg de alfa-tocoferol e na mesma quantidade de óleo de oliva 10,70mg.

Durante o processo de cozimento dos alimentos, quando há uma elevação da temperatura, quase não há perdas da vitamina E. Entretanto se o óleo de girassol ficar armazenado por mais de 3 meses pode haver perdas de até 50% deste nutriente.

Espero ter acrescentando informações relevantes sobre essa vitamina.

Em caso de mais dúvidas procure um nutricionista, esse profissional pode sim melhor orienta-lo.

Fonte:  ANutricionista.Com - Glaucia Figueiredo Justo - CRN4 09100413 - Nutricionista em Vila Velha.

COSTA, N. M. B; PELÙZIO, M. C. G. Nutrição Básica e Metabolismo. Viçosa: Editora UFV, 2008.
RAMALHO, V C; JORGE, N. Antioxidant ativity of a-tocopherol and rosemary extract antioxidant activity in purified soybean oil. Rev. Inst. Adolfo Lutz. 2006,65;(1):15-20.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário