Tudo que você precisa saber sobre o colesterol

por Nutricionista Daniela Mendes Tobaja - CRN3 27602

colesterol-nutrição-saude

Primeiramente, todos precisam entender que o colesterol é fundamental para o nosso corpo, pois ele participa da formação de hormônios, da vitamina D, de membranas e ácidos biliares (fundamental para absorção de gordura no intestino). Para isso, algumas células do nosso fígado e intestino produzem colesterol.

Além do colesterol que o nosso corpo produz, alguns alimentos são fontes de colesterol, os principais são de origem animal, como as carnes (principalmente fígado, bucho, coração de galinha, gema do ovo), as manteigas, o leite integral, os iogurtes integrais, queijos amarelos, embutidos, creme de leite e produtos que contenham estes ingredientes. Vale a pena lembrar que, alimentos do nosso dia a dia como o pãozinho, bolo entre outros, geralmente contém um ou mais destes ingredientes citados anteriormente. Outros alimentos como o café expresso também contém colesterol.

O excesso de colesterol pode trazer muitas complicações a saúde, como a formação da placa aterosclerótica e doenças cardiovasculares, que é a principal causa de morte.  A redução de 1mg/ dL do “colesterol bom” (HDL), pode aumentar o risco para doenças cardiovasculares em 2 a 3%. Enquanto o aumento de cada 1mg/dL do mesmo reduz o risco de morte coronariana em 6%, independente do nível do colesterol ruim (LDL).

Muitos já devem ter ouvido sobre o papel protetor do HDL ou “colesterol bom”, como ação anti- inflamatória, antitrombótica, vasodilatadora e importante  na prevenção da aterogênese. Isso porque, o HDL “recolhe” o colesterol ruim dos tecidos e o transporta para o fígado, para eliminação ou reutilização. No entanto, diferente da visão que se tinha, o metabolismo do HDL é muito mais complexo, hoje, estudos o classificam em diferentes subfrações: HDL-2a, 2b, 3a, 3b e 3c e investigam quais as frações que realmente são benéficas a saúde, ou seja, mais importante que a quantidade de HDL é a sua qualidade (funcionalidade).  Uma nova forma de avaliação do colesterol, ou modificações nos valores de referências tem sido avaliada.

Hoje, sabe- se que os fatores não genéticos são responsáveis por até 50% de aumento do colesterol, dentre eles estão:

- excesso de peso;

- tabagismo;

- sedentarismo;

- consumo de álcool;

- hábitos alimentares errôneos;

- hipotireóidismo, entre outros;

Uma boa nutrição tem um papel muito importante, tanto para a redução de peso, como redução do colesterol, onde destaco:

- Fibras solúveis: presentes em frutas, verduras, sementes, leguminosas, entre outros. Um estudo recente observou que o consumo crônico de suco de laranja pode diminuir em até 11% do colesterol total e 15 % do LDL, isso devido ao flavonóides cítricos e a vitamina C em conjunto.

- Chá verde: Ajuda a reduzir o colesterol total e o LDL, devido aos flavonóides (catequinas), em especial a epigalocatequina gallate (EGCG). Além disso, o chá verde contém cafeína e polifenóis que aumentam o metabolismo, facilitando a perda de peso.

- Omega-3

- Soja

- Niacina (Ácido nicotínico) ou vitamina B3: tem demonstrado os melhores resultados para aumentar o colesterol HDL-C em 15%-40%, reduzir o LDL-C (5%-25%) e os triglicerídeos (20%-50%). Os estudos também demonstraram eficiência para redução do tamanho das placas de ateroma e outros problemas cardiovasculares.

- Fitoterápicos

- Dieta vegetariana: tem apresentado grande eficiência no papel protetor vascular.

- Fitosteróis, fitostanóis, flavonóides, entre outros.

São muitas as teorias e crenças praticadas para a melhora do colesterol, porém nem todas se apresentam eficientes, como é o caso da berinjela que demonstra resultados muito conflitantes e baixa eficiência, portanto procure um nutricionista para melhores orientações.

Fonte:  ANutricionista.Com - Daniela Mendes Tobaja - CRN3 27602 - Nutricionista em Piracicaba.

Leança C. C., Passarelli M., Nakandakare E. R., Quintão E. C.R. HDL: o yin-yang da doença cardiovascular. Arq. Bras. Endocrinol. Metab, v.54 n.9, 2010.

Cerqueira P. M. e.t. AL. Efeito da farinha de semente de abóbora (Cucurbita maxima, L.) sobre o metabolismo glicídico e lipídico em ratos. Rev. Nutr. V.21 n.2, 2008.

César, Borges T. Suco de laranja reduz o colesterol em indivíduos normolipidêmicos. Rev. Nutr. 23(5): 0-0, 2010.

Scherr C., Ribeiro J. P. Colesterol e gorduras em alimentos brasileiros: implicações para a prevenção da aterosclerose. Arq. Bras. Cardiol. v.92 n.3, 2009.

Batista G.A.P. ET. Al.Estudo prospectivo, duplo cego e cruzado da Camellia sinensis (chá verde) nas dislipidemias. Arq. Bras. Cardiol. V.93 n.2, 2009.

Ramos A. T., CunhaM.A. L., Sabaa-Srur A. U.O., Pires V.C.F. Cardoso M. A. A. ET. AL. Uso de Passiflora edulis f. flavicarpa na redução do colesterol. Rev. bras. farmacogn. v.17, n.4,2007.

Ineu M.L., Manenti E., Costa J.L.V., Moriguchi E. Manejo da HDL: avanços recentes e perspectivas além da redução de LDL. Arq. Bras. Cardiol. v.87, n.6, 2006.

Alfonso J.E.F., Ariza I.D.S. Elevando el colesterol HDL: ¿Cuál es la mejor estrategia? Rev. Assoc. Med. Bras. V.54, n.4, 2008.

Martins S.L.C., Silva H. F., Novaes M.R.C.G., Kiyomi Ito M.. Efeitos terapêuticos dos fitosteróis e fitostanóis na colesterolemia. ALAN v.54 n.3, 2004.

Biase S. G., Fernandes S. F. C., Gianini R. J., Duarte J.L.G. Dieta vegetariana e níveis de colesterol e triglicérides. Arq. Bras. Cardiol. V.88 n.1, 2007.

Praça J. M., Thomaz A., Caramelli B. O suco de berinjela (Solanum melongena) não modifica os níveis séricos de lípides. Arq. Bras. Cardiol. v.82, n.3, 2004.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário