Quando recorrer a suplementação alimentar?

por Nutricionista Mírian Valério - CRN2 7012P

suplementos alimentares

Hoje em dia, a maioria das pessoas que buscam o aumento de massa muscular ou simplesmente  melhorar  a sua performance durante o treino,  adotam algum tipo de suplemento nutricional na sua dieta, porém a maioria das pessoas  sabem pouco sobre o seu uso e acabam, seguindo orientações dadas por outros  profissionais, pessoas leigas que desconhecem os riscos do uso indiscriminados desses suplementos alimentares, pois assim como a carência de vitaminas e minerais podem acarretar em danos a saúde, a  toxidade pode acabar desenvolvendo doenças no organismo.

É importante ressaltar que há uma diferença entre freqüentadores de academia e atletas, cuja a intensidade e a freqüência do treino são superiores a aqueles que malham cerca de duas horas diárias. Outro aspecto a se considerar, é que a maioria dos indivíduos ao utilizar suplemento nutricional seguem a orientação de administração repassada pelo fabricante, como se todos as pessoas obtivessem o mesmo perfil nutricional e o mesmo gasto energético. Porém cada organismo possui uma individualidade bioquímica que deve ser respeita, por isso também o perigo de seguir dietas da moda ou dietas vinculadas em revistas, que em sua maioria focam apenas calorias, o que não é seguro.

A suplementação segura é  aquela que respeita os níveis máximos e seguros  de determinados nutrientes para uma população especifica, estabelecido pelas DRIs (Dietary Reference Intakes). O profissional nutricionista poderá orientar os suplementos com base no diagnóstico nutricional e as necessidades individuais de cada indivíduo, prevalecendo sempre uma boa reeducação alimentar, afim de otimizar um estado nutricional satisfatório e continuo, através de um alimentação equilibrada, tornando a suplementação apenas um alternativa para suprir as carências.

Além de tudo a prática do suplemento alimentar gera muitas controvérsias e as pessoas devem estar atentas se o produto escolhido possui o registro da ANVISA (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária), pois ela é responsável por assegurar a venda e utilização dos produtos, afim de garantir a qualidade sanitária e a segurança para a saúde, evitando por exemplo que tais suplementos alimentares contenham substâncias não mencionadas em seus rótulos, como alguns hormônios anabolizantes.

Por estes motivos mencionados acima, vale ressaltar que a busca por uma alimentação saudável, seguida de maneira  contínua e prolongada, possibilitará que o indivíduo atenda as suas necessidades de vitaminas e minerais, mantendo as reservas de macronutrientes (substâncias calóricas) e micronutrientes (substâncias com funções metabólicas) adequadas, além de proporcionar um meio mais econômico, pois sabe-se que em geral estes suplementos alimentares são de alto custo se administrados  diariamente, se comparados aos alimentos e vegetais da época, que além de serem mais baratos proporcionam uma maior absorção dos nutrientes em relação as mesmas substâncias vindas em comprimidos ou até mesmo em pós.

Assim, no caso de optar pela suplementação  na sua ingesta diária ou durante os dias de pratica esportiva, deverá ser feito através de um acompanhamento com profissional nutricionista para a  revalidação do período de administração, assim como os dados clínicos, o estado nutricional e de todo plano alimentar  já prescrito.

Fonte:  ANutricionista.Com - Mírian Valério - CRN2 7012P - Nutricionista em Rio Grande.

SCHNEIDER, Aline Petter. Nutrição Estética. São Paulo: Ed. Atheneu, 2009.

VITOLO, Márcia Regina. Nutrição da gestação ao envelhecimento. Rio de Janeiro: Ed. Rubio, 2008.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

5 Comentários para “Quando recorrer a suplementação alimentar?”

  1. vanessa comentou:

    Parabéns Mírian Valério pela esclarecedora matéria escrita de forma inteligente e perspicaz… Continue assim brilhante na carreira!

  2. Mírian Valério comentou:

    Obrigada Vanessa!
    Fico feliz q tenhas gostado.
    Se tiveres sugestão de algum assunto, fique a vontade.

  3. Pinheiro comentou:

    É importante que muitos desses “atletas” do fim de semana saibam bem o que estão fazendo! Bem como os frequentadores de academias que buscam a forma física deseja, mas de forma errada! Muito boa a matéria! Muito esclarecedora! Parabéns, espero ler mais.

  4. RoxyNando comentou:

    Isso é a mais pura verdade!
    Eu por exemplo, levava uma vida sedentária por assim dizer até 3 semanas atrás. Após duas semanas de prática de exercícios físicos e alimentação mais saudável e com intervalo de tempo entre estas de 3 a 4 horas, comecei a tomar suplemento alimentar sob a orientação do nutricionista da academia a qual frequento como já dito anteriormente há 3 semanas.
    Mas como muito bem dito: o custo destes é um pouco elevado e muito provavelmente não darei continuidade após o término destes, haja vista que, o mesmo investimento pode ser feito em produtos integrais e naturais que de certo modo são mais garantidos à saúde.

    Muito boa a matéria. Está de parabéns!

  5. Alinny comentou:

    Olá!
    Parabéns Mírians Valério, sua matéria foi bem explicativa e interessante.
    Gostei Muito, Só para reforçar a matéria, o risco das doenças no organismo ligado a suplementos e anabolizantes é enorme! Por isso não use médicamentos sem consulta de um especialista.
    Obrigada!
    Alinny Gaeslyng
    Nutricionista.

Deixe um comentário