Períodos críticos da vida que podem favorecer a obesidade

por Nutricionista Tereza C. Moreira C. Mascarenhas Pontes - CRN9 9630/P

Olá, caros leitores!

Recentemente li no jornal “Estado de Minas” uma reportagem com o seguinte título: “Obesidade brasileira vai se igualar à americana”. Segundo ela, o Ministério da Saúde prevê que em 2022 a taxa de sobrepeso e obesidade será igual a dos Estados Unidos, onde o problema é encarado como um risco à saúde pública. Resolvi  então, esclarecer mais um pouquinho sobre a obesidade! O assunto é realmente sério. O excesso de peso está associado ao desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes tipo 2, hipertensão arterial, doenças do coração, dentre outras. Por isso, gostaria de chamar a atenção de vocês para os períodos críticos da vida humana que podem favorecer a obesidade: infância (principalmente até os dois anos de idade) e adolescência.

No desenvolvimento normal de uma criança, a multiplicação das células que armazenam gordura (chamadas adipócitos) se inicia na 30ª semana de vida ainda no interior do útero da mãe, e se prolonga até os dois primeiros anos de vida. Assim, durante esse período, se a criança tiver uma alimentação com mais calorias do que ela é capaz de gastar durante o dia, essas células irão armazenar gordura até um certo limite (aumentando de tamanho), e a partir daí, se o excesso de calorias continuar a ser consumido, essas células começarão a se multiplicar para que possam armazenar mais gordura. Após essa idade, o número de células que estocam gordura permanece estável até os 8 a 10 anos de idade. Na puberdade volta a ocorrer um aumento rápido tanto no tamanho quanto no número de células (ou seja, na adolescência as células que armazenam gordura voltam a ter capacidade de se multiplicarem).

Dessa forma, crianças e adolescentes que passaram pelo processo descrito anteriormente , chegarão na fase adulta com maior número de células capazes de armazenar gordura, e consequentemente terão maior facilidade para engordar. Uma criança que é obesa nos primeiros seis meses de vida apresenta chance 2,3 vezes maior de se tornar um adulto obeso, enquanto adolescentes obesos de 10 a 13 anos  apresentam chance 6,5 vezes maior de se tornarem adultos obesos. Mas cuidado! Apesar de o aumento no número de adipócitos ser mais característico em épocas mais precoces da vida, ela também pode ocorrer na vida adulta!

Comece a prevenção dentro de casa. Os pais podem ajudar os filhos sendo exemplos de estilo de vida saudável. A seguir serão dadas orientações gerais para melhorar os hábitos e evitar o ganho de peso:

- Estimule a prática de atividade física (sob orientação de profissional capacitado).

- Desestimule o hábito de comer assistindo televisão. A pessoa deve prestar atenção no que está comendo. Assim ela terá maior controle sobre a ingestão de alimentos.

- Estimule o consumo de frutas, legumes e verduras, além de cereais integrais.

- Ofereça lanches saudáveis, e desestimule o consumo de refrigerantes, doces, salgadinhos, frituras.

- Estimule o hábito de comer de 3 em 3 horas.

- Mastigar bem os alimentos também é muito importante!

Prevenir o excesso de peso na infância e adolescência é fundamental para que crianças e adolescentes de hoje sejam adultos saudáveis no futuro!

Espero ter ajudado! Até a próxima!

Fonte:  ANutricionista.Com - Tereza C. Moreira C. Mascarenhas Pontes - CRN9 9630/P - Nutricionista em Belo Horizonte.

Accioly E, Saunders C, Lacerda EMA. Nutrição em Obstetrícia e Pediatria. Rio de Janeiro: Cultura Médica, 2009

Khodr, C. Obesidade brasileira vai se igualar à americana. Jornal Estado de Minas. Belo Horizonte, 15 dez. 2010. Caderno Nacional. p.10.

Damiani, D. Obesidade na infância e adolescência: um extraordinário desafio!. Arq Bras Endocrinol Metab [online]. 2000, vol.44, n.5, pp. 363-365.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário