Orgânicos, Funcionais e Transgênicos: qual a diferença?

por Nutricionista Francis Moura Santos - CRN5 3243/P

Antigamente os alimentos não possuiam classificação, eram um só, aquele que compravamos na feira ou no supermercado. Atualmente encontramos várias denominações para os alimentos, como: orgânicos, funcionais e transgênicos.  Afinal de contas, não é tudo alimento? Qual a diferença entre eles? Qual o melhor deles?

Alimentos Orgânicos: são produzidos sem a utilização de produtos químicos, sem adubos químicos e não é permitido o uso de sementes transgências na produção. Há também uma preocupação dos agricultores com o equilibrio entre o manejo do solo e os recursos naturais, visando o desenvolvimento sustentável do meio ambiente e assim retirando o produto da terra de forma mais natural possível. Sendo assim, o agricultor deve trabalhar em constante equilíbrio com a natureza e para isso pode recorrer às ciências como a agronomia e a ecologia na tentativa de buscar conhecimento sobre a melhor forma de trabalhar a terra sem prejudicar o meio ambiente. A produção orgânica deve obedecer rigorosamente os princípios do Instituto Biodinâmico (IBD) para conseguir a certificação de produto orgânico.

Há no mercado dois tipos de selo ou certificações para os produtos orgânicos: produtos orgânicos e produtos com ingredientes orgânicos. Os produtos orgânicos são considerados orgânicos se forem compostos de apenas um ingrediente que deve ser 95% orgânico, enquanto que os produtos com ingredientes orgânicos deve conter até 70% de ingrediente orgânico.

Algumas pessoas ficam na dúvida se os produtos orgânicos são mais nutritivos em termos de macronutrientes (carboidrato, proteína e gordura) e micronutrientes (vitaminas e minerais) do que os alimentos não orgânicos. Em relação a macronutrientes a diferença entre os produtos orgânicos e os não-orgânicos é quase nenhuma, já em relação aos micronutrientes algumas pesquisas demonstram que, por não serem produzidos com a utilização de agrotóxicos, os alimentos orgânicos possuem mais defesas antioxidantes do que os não orgânicos para se defender das pragas.

Além de ser um alimento com vantagens nutricionais, são também alimentos que contribuem para a preservação da natureza, já que na sua produção é priorizado o desenvolvimento sustentável e a qualidade de vida do produtor.

Mas, cuidado! Algumas pessoas tendem a confundir os alimentos orgânicos com os hidropônicos. Alimentos hidropônicos não são orgânicos, já que na sua produção são utilizados adubos químicos e agrotóxicos.

Alimentos Funcionais: São alimentos que possuem compostos bioativos ou fitoquímicos que atuam diminuindo o risco de doenças crônicas, câncer e outras doenças, além promover benefícios para o organismo de quem consume. Segundo Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA),  os alimentos funcionais são aqueles  ”alimento ou ingrediente que, além das funções nutritivas básicas, quando consumido como parte da alimentação usual , produz efeitos metabólicos e/ou fisiológicos benéficos á saúde, devendo ser seguro para o consumo sem supervisão médica”.

Alimentos Transgênicos: são alimentos desenvolvidos em laboratório com parte de diferentes espécies. Também conhecidos como Organismos Geneticamente Modificados (OGM), que na lei nº 11105 de 24 de março de 2005, é definido como qualquer “organismo cujo material genético tenha sido modificado por qualquer técnica de engenharia genética”. Porém, por conhecer ainda muito pouco dos efeitos a longo prazo do consumo de alimentos transgênicos, muitas pessoas preferem evitar o consumo destes.

Os produtos transgênicos deveriam ter identificação em seus rótulos conforme o Decreto 4680 de 2003 mas, como isso não acontece, a IBD resolveu dar selos para os produtos que comprovadamente não são geneticamente modificados.

Diante do exposto é possível perceber que o ideal é que o alimento que consumimos no nosso dia a dia seja além de Funcional, orgânico, porém, se ele for funcional, já temos um grande beneficio.

Fonte:  ANutricionista.Com - Francis Moura Santos - CRN5 3243/P - Nutricionista em Salvador.

IBD Certificações: Perguntas frequentes. Disponível em:
IBD Certificações: Não OGM. Disponível em:
Decreto nº 4680 de 24 de abril de 2003. Disponível em:
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário