O que é comer bem?

por Nutricionista Perla Menezes Pereira - CRN3 14198

As pessoas possuem conceitos com relação a alimentação saudável que nem sempre condizem com evidencias científicas. A nutrição traduz para a prática as observações verificadas nas pesquisas e o nutricionista é o profissional melhor capacitado para a divulgação e promoção de praticas alimentares saudáveis na sociedade. Desse modo, a nutrição preventiva mostra-se campo abrangente para o desenvolvimento da qualidade de vida e do bem-estar como um todo.

A Sociedade contemporânea prega a rapidez e a praticidade no estilo e hábitos de vida – a sociedade hedonista busca o prazer imediato e sem “esforço”. É exatamente a praticidade e o imediatismo que a indústria de alimentos e as redes de “fast food” pregam como necessidade e dizem ofertar ao consumidor. Entretanto, as pessoas abraçam e “compram” esses conceitos/ideias sem estarem devidamente informadas acerca do que isso pode significar em termos nutricionais e dos riscos que certas escolhas trazem para a saúde.

O que a sociedade ocidental acredita ser inócuo para a saúde, precisa ser discutido e informado em projetos de políticas públicas de saúde e nos consultórios de nutrição. Apresento algumas ideias que fazem parte da construção disfuncional sobre alimentação:

  • A alimentação saudável é cheia de regras difíceis de serem seguidas;
  • A alimentação saudável é muito cara;
  • Dietas não funcionam;
  • Dieta é sinônimo de sofrimento;
  • Não é possível manter dieta saudável e seguir vários eventos sociais;
  • Todas as gorduras são péssimas para a saúde;
  • A suplementação é mais eficiente que a dieta ou a mudança de comportamento;
  • Posso ficar magra e bela sem precisar recorrer à dieta e atividade física;
  • Basta “malhar” para ganhar músculos;
  • É impossível ensinar crianças a gostar de frutas e hortaliças;
  • Conheço todas as recomendações, não preciso de “ninguém” para me dizer o que devo ou não comer;
  • Incluir consultas e orientações nutricionais na rotina de saúde da família é prática muito cara.

Isto só para citar algumas das crenças mais comuns observadas na pratica clínica. A desconstrução destas crenças passa por longo e precioso trabalho de conscientização e educação nutricional.

Dieta vem do grego e significa estilo de vida. Todos têm um estilo de vida, sendo nossa dieta adequada ou não. Claro, a escolha ruim e a dieta inadequada não surtem efeitos positivos. Outro ponto, a alimentação saudável não precisa ser monótona, podendo ser variada e muito saborosa, as técnicas dietéticas são usadas para isso. Há a possibilidade de escolha de frutas e hortaliças de época, mais baratas e nutritivas; há cereais integrais com preços mais em conta que muitas guloseimas e até refrigerantes; as polpas de frutas e iogurtes estão com bom preço no mercado. Há salgadinhos mais caros que um maço de alfaces, as escolhas precisam ser reflexivas e conscientes. Estudos com nutrição infantil mostram a adesão de crianças, de diferentes faixas etárias, em dietas ricas em frutas e hortaliças – a educação nutricional é importante e funciona com os pequenos.

A suplementação nutricional é ótima alternativa em casos específicos, mas não colabora para as mudanças de hábitos de forma efetiva. A Nutrição Estética está presente para mostrar que os nutrientes modulam a saúde da pele, cabelos e unhas. O ganho de massa muscular, principalmente em homens, está diretamente relacionado ao consumo energético e a composição da dieta. Há tipos de gorduras capazes de auxiliar o processo de emagrecimento e até o ganho de massa muscular.

Além destes aspectos, é importante frisar que a medicalização e o tratamento das doenças ocasionam menos qualidade de vida, sendo mais custosos que a pratica da alimentação saudável – tanto em termos econômicos como sociais. O nutricionista é aliado na busca da saúde e da qualidade de vida, sendo capacitado para atuar em todas as fases da vida: da infância à velhice. E, não há preço para a saúde e a qualidade de vida – precisamos refletir e tomar para nós a responsabilidade por nossas escolhas alimentares -o nutricionista tem como missão nos auxiliar nesse processo.

Fonte:  ANutricionista.Com - Perla Menezes Pereira - CRN3 14198 - Nutricionista em Ribeirão Preto.

IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008 - 2009: Antropometria e Estado Nutricional de Crianças, Adolescentes e Adultos no Brasil. 2010, 130 p.

Ministério da Saúde. Guia Alimentar para a população brasileira. Brasília, 2008. 210 p.
www.criancaeconsumo.org.br
www.publicidadeinfantil.org.br
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário