Nutrição na flacidez

por Nutricionista Laura dos Santos Pola - CRN3 27426/P

Imaginem a seguinte situação:

 Mulher, 27 anos, consulta um nutricionista porque acha que está acima do peso e precisa emagrecer. O nutricionista, durante a avaliação nutricional, obtêm a informação de que o peso está adequado para altura, ou seja, o IMC (índice de massa corporal) está normal. A mulher fica frustada, pois acredita que precisa emagrecer, pois não está satisfeita com sua composição corporal.

 Quantas mulheres não passam por essa situação? Quando analisamos nosso peso isoladamente, muitas vezes, verificamos eutrofia, isto é, equilíbrio entre nossas medidas de peso e altura. Mas, porque então, tantas mulheres estão insatisfeitas com seu corpo?

Ora, a resposta é muito simples: nosso peso é apenas 1 medida que deve ser avaliada na determinação da composição corporal. É só pensar: se somos formados de ossos, músculos, água e gordura, é necessário um equilíbrio entre todos esses compartimentos para refletir uma corpo realmente “saudável”.

Por isso, algumas vezes, para alterar nossa composição corporal, não é estritamente necessário o emagrecimento, mas sim a mudança de hábitos de vida e alimentares.

Vou explicar: vamos imaginar uma mulher com peso adequado para a altura, apresentando flacidez. Como contornar o problema?

Primeiramente, devemos entender que para termos uma pele firme é necessário uma substância chamada colágeno, que é sintetizada a partir dos aminoácidos (proteínas) lisina, prolina e glicina e de outros nutrientes como vitamina C, cobre, zinco, manganês e o silício.

Partindo desse princípio, podemos concluir que para tratar a flacidez da pele é importante fornecer esses nutrientes através da alimentação diária:

 Lisina, prolina e glicina: Para obter essas proteínas, pode-se adicionar na alimentação a gelatina sem sabor preparada com suco natural. É importante usar a gelatina sem sabor pela ausência de corantes e edulcorantes artificiais, que são substâncias que desgastam nutrientes do organismo.

Vitamina C: Esse nutriente é encontrado em abundância nas frutas ácidas como laranja, limão e acerola. Também está presente na goiaba, tomate, kiwi, abacaxi, morango, salsa e pimentão.

Cobre: Os frutos do mar, grãos integrais, feijões, nozes e batatas são boas fontes de cobre. Outras fontes importantes são folhas verde-escuras, os frutos secos (ameixa, damasco e figo secos), o cacau e a levedura.

Zinco: Está presente em alimentos ricos em proteínas como carnes magras, frango, peixe, amendoim, leite e derivados, leguminosas (feijão, lentilha, soja), nozes e cereais integrais. Lembrar que o zinco proveniente de proteínas vegetais não é tão bem aproveitado pelo organismo quanto o zinco de origem animal.

Manganês: As melhores fontes são abacaxi, oleaginosas (amendoim, castanhas, nozes), aveia, arroz integral, farinha de trigo integral, espinafre, batata doce, chá preto e chá verde

Silício: Mineral encontrado na aveia, cevada, salsa, nabo, avelã e feijão.

 É importante saber que, assim como existem alimentos que auxiliam na manutenção de uma pele firme e saudável, existem outros que atuam de modo contrário, provocando ou agravando a flacidez.  São eles: refrigerantes, doces, frituras, gorduras de origem animal, embutidos (salsicha, linguiça, calabresa, hambúrguer), frios, queijos amarelos e alimentos ricos em sódio como sal, caldos prontos, temperos prontos e salgadinhos.  Esses alimentos exercem efeito tóxico sobre a pele e devem ser evitados.

Além de cuidar da alimentação, procurem  eliminar o sedentarismo e melhorar a hidratação. Afinal, atividade física e ingestão hídrica são essenciais para alcançar o resultado desejado. Por isso, não descuidem dessa dupla!

Vale lembrar que, na flacidez, milagres não existem. Por isso, o esforço e a dedicação são fundamentais!

Fonte:  ANutricionista.Com - Laura dos Santos Pola - CRN3 27426/P - Nutricionista em Bauru.

SCHNEIDER, A. Nutrição estética. São Paulo: Editora Atheneu, 2009. 327p.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário