Nutrição e Envelhecimento da Pele

por Nutricionista Perla Menezes Pereira - CRN3 14198

Juventude e boa aparência são predicados estéticos que denotam valor à pessoa – não é simplesmente um fenômeno da modernidade, pois a Grécia Antiga, o Egito Antigo e mesmo a Europa da Idade Média tinham seu constructo de beleza e estética. O que a modernidade trouxe de “novo” foi o fato de transformar a beleza e a juventude em produto e, como tal, poderia ser adquirido/comprado. Exatamente é esse constructo da beleza como mercadoria que acarreta o rápido crescimento de procedimentos e técnicas de rejuvenescimento da pele, não importando o quanto elas “custem”, tanto em termos financeiros como em saúde. Portanto, pensar e entender cientificamente os mecanismos de envelhecimento da pele é importante para a disponibilização de procedimentos seguros, efetivos e também acessíveis em termos de custo. A nutrição equilibrada e os compostos bioativos são elementos chaves para a manutenção da saúde e da beleza da pele.

O envelhecimento envolve fatores ambientais (irradiação solar, fumo, dieta pobre em vitaminas e minerais) e fatores internos (depleção de enzimas antioxidantes, aumento da produção de radicais livres, redução da capacidade de reparação de tecidos, redução da vascularização, depleção hormonal etc). Podemos apontar que o avançar da idade interfere, na pele, nos processos de permeabilidade, cicatrização, angiogênese, função imunológica, produção de suor, síntese de vitamina D, alterações no mecanismo de estabilidade e reparo do DNA, na síntese de lipídeos e no metabolismo celular como um todo.

É a partir dos 20 anos de idade que ocorre depleção das fibras de elastina da pele e após os 30 anos, as fibras de colágeno tembém perdem a capacidade de reposição adequada, fatores que são intensificados com o passar dos anos e correspondem a perda da firmeza e elasticidade e ganho de rugas finas. As glândulas sebáceas, responsáveis pela lubrificação, produção de sebo e de alguns hormônios perdem a capacidade funcional com o passar dos anos e essa diminuição de lipídeos (sebo) na pele pode ocasionar o desenvolvimento de eczema (dermatite), prurido e xerose (pele seca), problemas muito comuns em idosos.

Em termos nutricionais, a pele possui papel importante na síntese da forma ativa da vitamina D, que é um nutriente atuante em diversos órgãos e tecidos. A vitamina D tem como funções a regulação e a diferenciação de tecidos, a liberação de agentes inflamatórios -citocinas. Além disso, a vitamina D atua na proteção da pele ao interferir no processo de morte celular – apoptose – e na indução da expressão de genes de peptídeos antimicrobianos, os quais previnem infecções oportunistas na pele. Os estudos mostram que a concentração de precursores de vitamina D na pele é, pelo menos, 2 vezes maior entre a população jovem em comparação com a população idosa.

Quais os procedimentos nutricionais que podem ser adotados para previnir o envelhecimento da pele e as doenças de pele associadas? Há uma série de nutrientes e alimentos que podem ser consumidos regularmente como forma de manutenção da saúde da pele e estão discutidos abaixo:

  • Dieta equilibrada em calorias e nutrientes influencia a resposta de genes relacionados ao processo de biossíntese, o que promove o reparo do DNA, a correta sinalização hormonal na pele e a regulação da apoptose;
  • O consumo de alimentos fontes de vitamina D (óleo de fígado, arenque, sardinha, salmão, ovos, leite integral) também são importantes para a promoção da biossíntese e regulação da apoptose na pele;
  • O consumo de vitaminas antioxidantes (vitaminas C e E) inibe a produção de radicais livres, os quais estão envolvidos no processo de envelhecimento, além de certas doenças. A vitamina E (óleos, sementes, grãos) age na estabilização da membrana celular, reduz o eritema, melhora a secreção de sebo e a hidratação da pele. A vitamina C atua na síntese de colágeno e no aumento da biodisponibilidade de selênio – mineral que constitui o grupo de enzimas antioxidantes mais potentes do organismo: as glutationas;
  • A reposição de colágeno na pele por meio de suplementação de colágeno hidrolisado tem se mostrado efetiva a partir dos 30 anos, segundo os estudos;
  • O consumo de carotenóides, principalmente o betacaroteno (cenoura, abóbora, mamão, damasco) e o licopeno (tomate, melancia, pitanga, goiaba, romã) é importante devido às suas ações fotoprotetora e antioxidante – inibe a produção de radicais livres;
  • O consumo regular de chá verde tem ação fotoprotetora, pois inibe os efeitos dos raios solares UVB, previne danos ao DNA e também possui atividade antioxidante. Os compostos presentes no chá verde responsáveis por essas propriedades são os polifenóis;
  • Outros compostos bioativos com propriedade antioxidante e fotoprotetora são a curcumina (cúrcuma, açafrão, curry), o resveratrol (suco de uva integral, suco de cranberry, suco de amora, uvas) e a genisteína (soja, farinha de soja), entre outros.

Desse modo,  podemos concluir que a saúde e a beleza da pele estão relacionadas à prevenção da exposição solar, ao uso de filtros solares e à adoção de dieta equilibrada e rica em compostos antioxidantes e fotoprotetores.

Fonte:  ANutricionista.Com - Perla Menezes Pereira - CRN3 14198 - Nutricionista em Ribeirão Preto.

Balasubramanian S and Eckert RL. Curcum suppress AP1 transcription factor-dependent differentiation and actives apoptosis in humans epidermal keratinocytes. J Biol Chem. 2007; 282: 6707-6715.

Katiyar S et al. Green tea and skin cancer: photoimmunology, angiogenesis and DNA repair. J Nutr Biochem. 2007; 18: 287-296.

Mantena SK et al. Orally administrated green tea polyphenols prevent ultraviolet radiation-induced skin cancer in mice through activation of cytotoxic T cells and inhibition of angiogenesis in tumors. J Nutr. 2005; 135: 2871-2877.

Stahl W et al. Carotenoids and carotenoids plus vitamin E protect against ultraviolet light-induced erythena in humans. Am J Clin Nut. 2000; 71: 795-798.

Zouboutis CC and Makrantonaki E. Clinical aspects and molecular diagnosis of skin aging. Clinics in Dermatology. 2011; 29: 3-14.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário