Melhore sua inflamação para perder peso!

por Nutricionista Ana Paula Fidélis - CRN9 6192

metabolismo

Provavelmente nunca te falaram que diminuir a inflamação faz perder peso ou que a inflamação é causa de inúmeras doenças não é mesmo?

Hoje vamos falar da inflamação que está sendo estudada há bastante tempo, mas que só agora sua repercussão está alta.  A inflamação no nosso corpo é decorrente de uma série de fatores como o estresse, alimentação inadequada, sedentarismo, poluentes ambientais, consumo de gordura saturada e trans, alimentos alergênicos, ativação do sistema imunológico e doenças.

Sabe-se que a inflamação é a causa de várias doenças do coração como aterosclerose, infarto, doenças como hipertensão, diabetes, câncer, depressão, entre outras.

Estuda-se muito a obesidade ou o excesso de peso como originadas pela inflamação no nosso corpo. A inflamação leva a várias desordens metabólicas como alterações nos hormônios do controle da saciedade, aumento do apetite, aumento do acúmulo de gordura, diminuição da perda de peso, aparecimento de desordens estéticas como celulite, acne, queda de cabelo, psoríase e ainda leva a danos no nosso DNA que podem ser passados para os nossos filhos.

Outro fator importante que desencadeia a inflamação são algumas substâncias que causam alterações hormonais. Eles estão presentes nos herbicidas, conservantes, corantes, aditivos químicos, metais pesados e estão em larga escala na nossa alimentação. Eles levam a mudanças nas nossas células e estas mudanças ocasionam alterações hormonais e inflamação.

Começa-se a perceber que a perda de peso é muito mais que restrição de calorias, mas sim um conjunto entre diminuição da inflamação, diminuição na ingestão das substâncias que levam a alterações do funcionamento do corpo, aumento no consumo de alimentos antioxidantes, alimentos com muitos nutrientes, vitaminas, minerais e fitoquímicos, prática de atividade física, modulação hormonal, diminuição do estresse e outros fatores. Tudo isto é relacionado com o que cada organismo necessita e como ele reage frente a tudo e para isso o plano alimentar será feito para cada um e não para um grupo de pessoas com as mesmas características.

Agora vejam aqui alguns alimentos antiinflamatórios e que possam começar a melhorar estas alterações no nosso metabolismo:

1 – Ômega-3: gordura saudável importante para melhorar a atividade das células, é um poderoso antiinflamatório, ajuda a modular os hormônios em desequilíbrio, aumentam o efeito protetor contra inflamação. Ele ainda tem outros inúmeros benefícios em várias doenças. Suas fontes são sardinha, atum, arenque, salmão, bacalhau, linhaça e abacate.

2 – Pimenta vermelha: para quem não é intolerante a mesma ela é uma poderosa ferramenta também.

3 – Gengibre: é um tempero alimentar com propriedades em melhorar diversas doenças, ação relevante na diminuição da inflamação. É importante destacar que o seu consumo deve ser cru já que no calor as substâncias ativas são perdidas. Dica é colcar gengibre nos sucos, saladas, molhos.

4 – Curcumina: é o ativo do açafrão. Tem ação anticancerígena, antiinflamatória e diversos estudos mostraram eficácia na melhora em muitas doenças.

5 – Romã: é uma fruta ainda pouco consumida, mas seus poderes são relevantes. Tem ação em diversas doenças e melhora muito a inflamação.

6 – Abacate: poderoso antiinflamatório, antioxidante e ainda diminui o hormônio do estresse, o cortisol.

7 – Azeite extra-virgem: o ideal é que tenha menos que 0,5% de acidez e em vidro escuro. Em quantidade controlada ajuda a perder peso, diminuir gordura abdominal e melhora inflamação.

Sempre que posto minhas matérias ressalvo a importância da individualidade bioquímica. Todos nós somos diferentes e precisamos de tratamentos diferenciados.

E é sempre bom lembrar que não é o alimento que nos faz ganhar peso, mas sim um conjunto de desequilíbrios tanto na quantidade de ingestão quanto em hormônios e outros.

Fonte:  ANutricionista.Com - Ana Paula Fidélis - CRN9 6192 - Nutricionista em Belo Horizonte.

Jianping Ye and Jeffrey N. Keller. Regulation of energy metabolism by inflammation: A feedback response in obesity and calorie restriction. AGING, June 2010, Vol.2 No.6

Mitchell S. V. Elkind Impact of innate inflammation in population studies. Ann. N.Y. Acad. Sci. 1207 (2010) 97–106

Naves Andréia. Nutrição Clínica Funcional: Obesidade. VP editora. São Paulo, 2009.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário