Manga Africana: Nova aliada da Vida Saudável!

por Nutricionista Vanessa Vichi Girotto - CRN3 18387

 foto

A busca pelo corpo perfeito tem sido uma das maiores obsessões dos brasileiros nos últimos anos. Porém, apesar da força de vontade de parte da população, há um aumento da prevalência da obesidade em diversas populações do mundo, incluindo o Brasil. Dados da OMS sugerem uma prevalência de 1,6 bilhões de adultos com sobrepeso no mundo e desses, cerca de 400 milhões são obesos. No Brasil 47% da população são de pessoas com sobrepeso, e 13% das mulheres e 9% dos homens com obesidade.

Temos uma novidade no quesito emagrecimento: Estudos mostram que o extrato da semente, chamada Irvingia gabonensis é capaz de ajudar na perda de peso e na melhora dos níveis sanguíneos de lipídios.

O Extrato da IRVINGIA GABONENSIS consiste do extrato das sementes de uma árvore natural da África e do sudeste asiático, chamada Irvingia gabonensis, algumas vezes conhecida pelo nome popular de wild mango, African mango (MANGA AFRICANA) ou bush mango. Estudos epidemiológicos realizados em populações tribais da África descobriram que os povos de certa região apresentavam baixa incidência de obesidade, diabetes e doenças relacionadas devido ao uso constante de uma pasta feita das sementes da Irvingia com a finalidade de espessar sopas. Esta descoberta levou ao desenvolvimento de um extrato concentrado da Irvingia que reduz medidas pela queima de gordura, controla a dislipidemia, reduzindo o colesterol LDL e triglicerídeos e melhorando os níveis do colesterol HDL, assim como reduz os níveis de glicose no sangue.

Considerando a extensa utilização da Irvingia gabonensis na alimentação dos africanos, os autores encorajam o seu uso com o propósito de controlar a absorção de lipídeos da dieta e o peso corporal.

A Irvingia ajuda a manter o peso corporal saudável devido a quatro fatores:

1. Atua diminuindo níveis de leptina, hormônio importante no controle do peso, porque promove a quebra de gordura;
2. Aumenta a adiponectina (hormônio essencial que ajuda a diminuir a resistência à insulina, bem como a saúde cardiovascular). Estudos mostraram que indivíduos que fazem uso de Irvingia têm um aumento considerável dos níveis de adiponectina.
3. Inibe a enzima conversora de gordura chamada glicerol-3-fosfato desidrogenase, que facilita a conversão de glicose em triglicerídeos que aumentam o tamanho dos adipócitos. A Irvingia inibe esta enzima, reduzindo assim a quantidade de glicose que é convertida em gordura no corpo.
4. Dieta: Reduz a absorção de carboidratos. Para que os carboidratos sejam totalmente absorvidos, devem ser discriminados no trato digestivo pela enzima amilase. A Irvingia inibe a amilase e, portanto, reduz a quantidade de amido que será absorvido.

É importante lembrar que todo fitoterápico deve ser prescrito por um médico ou nutricionista, respeitando a individualidade e necessidade de cada pessoa.

Fonte:  ANutricionista.Com - Vanessa Vichi Girotto - CRN3 18387 - Nutricionista em Sorocaba.

1. Ngondi, J. L. et al. Glycaemic variations after administration of Irvingia gabonensis seeds fractions in normoglycemic rats. Afr J Trad, Compl Alter Med, 3 (4): 94-101, 2006.
2. Ngondi, J. L.; Oben, J. E.; Minka, S. R. The effect of Irvingia gabonensis seeds on body weight and blood lipids of obese subjects in Cameroon. Lipids Health Dis, 4: 12, 2005.
3. Oben, J. E.; Ngondi, J. L.; Blum, K. Inhibition of Irvingia gabonensis seed extract (OB131) on adipogenesis as mediated via down regulation of the PPARgamma and Leptin genes and up-regulation of the adiponectin gene. Lipids Health Dis, 7: 44, 2008.
4. Tavares, V; Hirata, M. H.; Hirata, R. D. C. Receptor Ativado por Proliferadores de Peroxissoma Gama (PPARR): Estudo Molecular na Homeostase da Glicose, Metabolismo de Lipídeos e Abordagem Terapêutica. Arc Bras Endocrinol Metab, 51 (4): 526-533, 2007.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário