Inimigos ocultos: o perigo que está na sua cozinha

por Nutricionista Tatiane Trevilato de Brito - CRN3 26450

bp_1bacteriaAs doenças alimentares constituem uma das principais preocupações ao nível da Saúde Pública, principalmente nos grupos mais vulneráveis como crianças e idosos. A maioria dos microrganismos levam ao aparecimento de infecções alimentares quando ingeridos em grande número ou quando as suas toxinas estão presentes nos alimentos. Contudo, os alimentos não costumam apresentar alterações no seu cheiro, sabor ou aspecto. A maioria das infecções alimentares tem a sua origem em superfícies, utensílios de cozinha e mãos contaminadas e na contaminação cruzada, em particular de alimentos já cozidos e prontos para consumo com alimentos crus.

Portanto, o lugar onde preparamos os alimentos e às vezes fazemos nossas refeições pode ser o ambiente ideal para a multiplicação de germes e bactérias. A combinação dos restos de comida e umidade no ambiente é perfeita para que os microorganismos se desenvolvam na pia, nos panos de prato, na esponja, e até mesmo no fogão,  microondas, piso e azulejos, geladeira, nas tábua de corte e utensílios.

Mas não se desespere, manter a higiene na cozinha não é tão difícil. Basta ter um pouco mais de cuidado e atenção na limpeza do ambiente  e utensílios, assim como na higienização, armazenamento e preparo dos alimentos.

Procurei trazer algumas dicas para facilitar esta tarefa:

Primeira regra: lavagem das mãos! Lembre-se sempre de lavar as mãos antes de começar a mexer com os alimentos. As mão carregam uma quantidade enorme de microoganismos mesmo quando “parecem” estar limpas.

Lavagem das louças: Muito cuidado e atenção ao estado da esponja. Ela pode ser o esconderijo perfeito para os germes. Ali, eles encontram restos de alimento e água para sobreviver e multiplicar. Uma esponja mantida úmida abriga microrganismos vivos por até duas semanas. Por isso, ela deveria estar presente em sua cozinha por apenas uma semana, sendo desinfetada todas as noites: lave a esponja e enxagüe bem,  mergulhe-a por 5 minutos em uma solução de duas colheres de sopa de água sanitária por 1 litro de água, torça e mantenha em um local seco, lugar de esponja não é guardada em cima do sabãoesponja

Limpeza da pia: você pode usar detergente, cloro ou sabão neutro . A secagem da pia é fundamental, usar um rodinho de plástico pode ser uma boa solução para remover o excesso de água. O ralo não deve ficar de fora da limpeza e lembre-se de usar o aparador e sujeira para tampá-lo. Usar a mistura de 2 colheres (sopa) de água sanitária e 1 litro de água dentro da pia acaba com as bactérias.

Panos de prato devem ser lavados e trocados com freqüência. Para desinfetar os panos de prato, use água quente e a solução com água sanitária. LEMBRE-SE: um pano de louça úmido tem muito mais bactérias do que o tampo de um vaso sanitário!! Prefira panos descartáveis ou toalhas de papel.

Lixo: Sempre longe da pia!! Ter uma lixeira na pia é o mesmo que cozinhar ao lado do lixo e perto de muitos contaminates. O lugar dela é no chão, com saco próprio trocado diariamente e abertura por pedal, para evitar que as mãos toquem no lixo. Se não for limpa todo dia, atrai formigas, baratas e moscas.

Tábua de carne e utensílios de madeira Estudos demonstraram que os microrganismos se fixam na superfície da madeira, principalmente nas ranhuras e é muito difícil retirá-los no enxágüe. Uma vez fixadas, as bactérias sobrevivem ali, em uma fase dormente, por longos períodos de tempo. Quando a tábua de madeira ou utensílio (colher de pau, por exemplo) for novamente usada, essas bactérias podem contaminar outros alimentos, causando potencialmente doenças veiculadas por alimentos.

Por isso, se a sua tábua de carne é feita de madeira, livre-se dela. Prefira as de polietileno ou de vidro, que além de mais higiênicas são fáceis de limpar. Os microrganismos presentes em tábuas plásticas são eliminados pela lavagem. Não use palha de aço ou produtos abrasivos. Use uma mistura de água, detergente e álcool e periodicamente coloque-as em solução clorada. Quando estiver gasta troque por uma nova. O ideal é utilizar uma para cada tipo de alimento, sendo uma para carnes, um para hortaliças e uma para legumes. Nas cozinhas mais elaboradas já encontramos três cores de tábuas distintas para facilitar a identificação. Mas para quem não pretende seguir esta regra, tenha ao menos duas unidades, uma para carnes e outra para os outros alimentos.

Cuidado com a CONTAMINAÇÃO CRUZADA, ou seja, é uma transferência de micróbios patogénicos (causadores de doença) de um alimento contaminado (normalmente cru) para outro alimento, diretamente ou indiretamente. Esta é a maior causa de intoxicações alimentares. Lembre-se que os alimentos crus são fontes potencias de contaminação e o armazenamento destes deve ser feito separadamente dos alimentos prontos a comer. Nunca devemos usar os mesmos utensílios para preparar alimentos crus e cozidos. Esta situação é facilmente negligenciável quando se prepara um churrasco por exemplo. Use utensílios e pratos separados para a carne crua e cozida. Não prepare saladas nas tábuas de cortar, que tenham sido usadas com carne crua.

Limpeza dos  eletrodomésticos:

Geladeira e freezes: Por dentro, esses eletrodomésticos podem ser limpos com pano umedecido numa solução que leva 1 colher (sopa) de bicarbonato de sódio para cada 2 litros de água. Enxugue bem. Para limpar o lado de fora, use água e sabão neutro.

Microondas: Por dentro, use um pano úmido com sabão ou detergente, nada de removedores. A parte externa do microondas externa fica limpinha se você usar um pano embebido com água e sabão neutro. Para finalizar, passe um pano seco, que também deve ser usado para limpar o painel de controle

Fogão: Higienize o fogão usando uma esponja ou um pano fino com água e sabão neutro. Depois de enxaguar, seque com um pano seco e macio. Aquela sujeira mais pesada, que insiste em ficar grudada no fogão, pode ser removida com um pouco de bicarbonato de sódio e vinagre de maçã. Nunca use removedores e produtos com soda cáustica, pois eles estragam o fogão.

Na hora de preparar o alimento o mais importante é deixá-lo cozinhar bem, já que o cozimento adequado consegue destruir quase todos os microorganismos perigosos, o ideal é atingir 70º no centro do alimento.

Lembre-se que a contaminação por alimentos pode ser muito grave, especialmente em grupos mais frágeis como crianças, idosos e doentes, porém, a prevenção é simples, só depende de você! Se tiver dúvidas em como proceder procure um nutricionista, ele saberá orientá-lo perfeitamente.

Fonte:  ANutricionista.Com - Tatiane Trevilato de Brito - CRN3 26450 - Nutricionista em Ribeirão Preto.

ANVISA- disponível em www.anvisa.gov.br. RDC nº216 de 2004.
Silva Jr EA. Manual de Controle Higiênico-Sanitário em Alimentos. 4.ed. São Paulo: Varela; 2001
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário