Ganho de peso após o casamento: inevitável?

por Nutricionista Laura dos Santos Pola - CRN3 27426/P

casamento

Na minha prática profissional, tanto no atendimento público quanto no particular, tenho observado a enorme influência do casamento na mudança do peso feminino. Atendo, todos os dias, dezenas de mulheres com histórias semelhantes: magras ou com leve sobrepeso enquanto solteiras, com ganhos ponderais bastante significativos após o casamento. As próprias pacientes costumam utilizar o casamento como um divisor de águas entre o peso habitual de antes e o peso atual.

Mas afinal, qual a relação existente entre a oficialização da união de um casal e o ganho de peso feminino? Ou melhor, será mesmo inevitável ganhar alguns quilos após o casamento?

Uma pesquisa inglesa, publicada no ano passado, concluiu que tanto homens quanto mulheres engordam após o casamento. Nos Estados Unidos um trabalho semelhante mostrou que as mulheres engordam mais. Aqui no Brasil uma pesquisa com mais de 3,5 mil pessoas também comprovou que depois do casamento homens e mulheres ganham alguns quilos. Isso aconteceu com 91% dos entrevistados casados.

Os motivos para o ganho de peso são vários. Com o casamento, finalmente temos nossa independência no supermercado e podemos comprar o que quisermos. E é aí que o bom senso deveria imperar no consumo consciente e balanceado. Entretanto, não é o que acontece, na maioria das vezes.

Outro fator é querer agradar o companheiro através do preparo de comidas saborosas e “cheias de carinho”. Muitas vezes, a refeição preferida do marido constitui-se de alimentos de origem animal (carnes, ovos, queijos) ou de massas caprichadas, acompanhados de cerveja e batata frita. E a esposa, que não é de ferro, acaba acompanhando a comilança.

Além disso, muitos casais transformam a refeição no principal (ou único) momento de lazer. O que, inevitavelmente, acaba promovendo um exagero no consumo energético, já que o paladar acaba ficando em primeiro plano nas escolhas alimentares.

Outro motivo a ser listado é a acomodação da mulher por já ter um parceiro definido e uma relação estável, descuidando da aparência física. Sentindo-se mais segura por considerar-se “garantida”, a mulher pode achar que é tempo de “abandonar os sacríficios do regime” e “premiar-se” com as guloseimas que aprecia.

Muitas vezes, a mulher, enquanto solteira, não era responsável (pelo menos não exclusivamente) pelas tarefas do lar (cozinhar, limpar, arrumar, passar, lavar, etc). Mas agora ela se vê tendo que dar conta de tudo isso e ainda conciliar os afazeres domésticos com a vida profissional. E claro, busca praticidade, através de comidas rápidas e fáceis de preparar, que trazem consigo excessiva concentração de gorduras, açúcar e sódio. Ou seja, preparações ou produtos alimentares carregados de calorias vazias que “matam a fome” sem nutrir nosso organismo.

Com tantos fatores atuando em sinergia fica difícil não engordar. Veja, dessa forma,  que o problema “ganho de peso” envolve diversos ângulos e concentra-se em comportamentos alimentares e hábitos de vida inadequados.

A situação pareceu-lhe familiar? Então saiba que este processo é reversível e depende de mudanças comportamentais. Ou seja, depende unicamente de uma decisão: cuidar de sua saúde, reservando “um tempinho” do seu dia para o preparo de uma comida que não agrida seu organismo, para praticar uma caminhada, para ouvir aquela música preferida ou ler aquele livro que você gosta, para curtir o marido.

O dia tem 24 horas, logo, com uma boa programação é possível realizar tudo o que precisamos sem que para isso desgastemos nossa saúde e bom humor com itens desnecessários.

Lembre-se: a forma física é um reflexo da saúde, por isso, durma bem, alimente-se de modo saudável e sempre cultive a mente positiva. Encare a alimentação saudável como um modo de vida e não se esqueça da atividade física ( junto com o parceiro, de preferência).

Fonte:  ANutricionista.Com - Laura dos Santos Pola - CRN3 27426/P - Nutricionista em Bauru.

Garcia R W D. Representações sociais da alimentação e saúde e suas repercussões no comportamento alimentar. Revista de Saúde Coletiva. 1997, vol. 7, n.2.

Stuart R, Jacobson B. Peso, sexo e casamento. São Paulo: Saraiva, 1990.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

3 Comentários para “Ganho de peso após o casamento: inevitável?”

  1. ana paula fernandes comentou:

    Este site é incrível. E é bom ter opinião de pessoas que realmente entendem do assunto. Deus os abençoe.

  2. Laura comentou:

    Obrigada Ana Paula!

    Continue acompanhando nossos artigos. Este site é escrito por nutricionistas que amam o que fazem!

    Atenciosamente,
    Laura dos Santos Pola

  3. Andreia comentou:

    Sou de bauru também e ouvi falar mutio bem de você! A boneca dos olhos verdes! Aprecio seu trabalho e sei também que você já esta sendo considerada uma das mais influentes nutricionistas da cidade. Parabéns pelo amor na profissão. Um grande abraço!

Deixe um comentário