Feijão faz bem ou mal à saúde?

por Nutricionista Laura dos Santos Pola - CRN3 27426/P

feijão

Você come feijão todos os dias? Se respondeu que sim, parabéns! Do contrário, saiba que excluir este alimento da alimentação diária pode trazer diversos prejuízos para a saúde.

Hoje, o que observo através da experiência em consultório é que as pessoas possuem uma visão distorcida sobre diversos alimentos. O feijão, infelizmente, é um deles. É cada vez mais frequente encontrar indivíduos que excluem o feijão da dieta por acreditarem que esta leguminosa “engorda”, prende o intestino ou não possui valor nutricional. Ora, isso é um absurdo!

Em primeiro lugar, quando falamos em estratégias para emagrecimento, o feijão pode ser um grande aliado! Não acredita? Pois bem, vamos aos fatos: o feijão é rico em fibras, as quais são responsáveis pela sensação de saciedade, reduzindo o consumo alimentar durante a refeição. Além disso, do ponto de vista calórico, 1 concha de feijão cozido com caldo apresenta a mesma quantidade de calorias de cerca de 1/3 do pão francês! Isso mesmo, são apenas 55 Kcal! Ou seja, menos calorias do que as encontradas em 1 maçã média (70 Kcal) ou 200 ml de leite desnatado (65 Kcal). Assim, fica evidente que ele deve estar presente em qualquer dieta que vise perda ou manutenção do peso corporal.

Além disso, as fibras contidas no feijão são responsáveis por regular o trânsito intestinal e reduzir a absorção de colesterol e glicose, auxiliando no tratamento e na prevenção de diabetes, constipação intestinal e hiperlipidemias como colesterol e triglicérides elevados.

Dentre os vários componentes presentes no feijão destacam-se os compostos fenólicos, que são substâncias antioxidantes. Estas substâncias agem no nosso organismo, reduzindo os riscos de desenvolver alguns tipos de câncer e doenças degenerativas.

E as vantagens deste alimento não param por aí. O feijão é rico em potássio, proteínas, vitaminas do complexo B, zinco, ferro e magnésio. Esses nutrientes são importantes para regulação da pressão arterial, construção e reparação muscular, reforço do sistema imunológico e prevenção da anemia, entre outras funções. Portanto, pense duas vezes antes de sair falando que o feijão não tem valor nutricional…

Mas atenção: na hora de comprar esta leguminosa é importante observar sua qualidade. Sempre evite o feijão enlatado, pois contém muito sódio e pode aumentar a pressão arterial e provocar inchaços. Observe se a embalagem está íntegra, sem furos ou indícios de adulteração, se os grãos apresentam coloração mais clara (indicando que estão mais novos) e se estão inteiros. Para conservá-lo corretamente, armazene em lata vedada, longe da umidade.

Depois de tantos benefícios descritos, não existe justificativa para não consumir um alimento tão importante como o feijão. Vamos valorizar este alimento tipicamente brasileiro e retomar os velhos e bons hábitos alimentares!

No próximo artigo, continuarei a falar sobre o feijão, desta vez destacando a importância do casamento “arroz com feijão”. Até lá, e boa apetite!

Fonte:  ANutricionista.Com - Laura dos Santos Pola - CRN3 27426/P - Nutricionista em Bauru.

Referências Bibliográficas:
MACHADO, C.M.; FERRUZZI M.G.; NIELSEN, S.S; Impacto f the hard-to-cook phenomenon on phenolic antioxidants in dry beans (Phaseolus vulgaris). Journal of Agricultural and Food Chemistry, Washington DC, v.56, n.9, p.3102- 3110, 2008.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

3 Comentários para “Feijão faz bem ou mal à saúde?”

  1. bruno miranda comentou:

    Qual seria um substituto ao feijão, pois esse é um alimento que eu nunca consegui comer?

  2. nutricionista comentou:

    Oi Bruno! São os grãos, como por exemplo a lentilha, ervilha, soja e grão de bico.

    Abraços!

  3. Diana comentou:

    É verdade que comer lentilha reduz o colesteról?

Deixe um comentário