Dieta Desintoxicante: Serve para perder peso?

por Nutricionista Daniela Mendes Tobaja - CRN3 27602

Suco desintoxicante

Após muita festança e alguns exageros na alimentação e nas bebidas alcoólicas, a dieta mais procurada nesta época é a dieta de desintoxicação, também conhecida como depurativa ou desintoxicante. Esta dieta, consiste na privação de contato com toxinas. A principal finalidade da desintoxicação é a renovação no funcionamento fisiológico do aparelho digestivo, aumentando a vitalidade e a energia de todo o corpo. A eliminação das toxinas acontece diariamente, mas se os hábitos alimentares, e de vida forem inadequados, é possível que o corpo comece a acumular resíduos tóxicos.

A desintoxicação ocorre principalmente no fígado e no intestino. A eliminação das toxinas se dá através da urina, das fezes, do suor e da respiração, e é influenciada por alguns fatores como a genética, a idade, o uso de medicamentos, estilo de vida e alimentar, dentre outros.

Altamente consumidos, os alimentos industrializados são ricos em toxinas (xenobióticos), que são substâncias consideradas estranhas ao organismo, que geralmente não são produzidas pelo nosso corpo ou são substâncias orgânicas que estão em excesso. Estas toxinas, por vezes são adicionadas propositalmente para melhor conservação do alimento ou para coloração (corantes), e por vezes essa contaminação não propositalmente, pode se dar pelo tipo de embalagem ou recipiente em que são armazenadas.  Estes xenobióticos podem ser nocivos ou não (como por exemplo, fitoestrogenos, vitamina D ou C, entre outros). Alguns exemplos mais comuns de xenobióticos nocivos a saúde são os agrotóxicos, produtos cárneos onde hajam resíduos hormonais e antibióticos, o álcool,  corantes, plásticos, alguns adoçantes, alumínios (resíduos de panelas, utilização incorreta de utensílios e embalagens), entre outras toxinas que podem fazer mal a saúde, como: baixa no sistema imunológico, mal funcionamento do intestino, flatulência, distensão abdominal,  infertilidade, câncer e etc.

A dieta de desintoxicação, nada mais é do que uma alimentação com princípios saudáveis e insenta de toxinas, onde apenas são consumidas frutas preferencialmente orgânicas, sucos naturais, vegetais, alimentos naturais não processados, farelos e chás de ervas. Apesar de ser baseada em alimentos saudáveis, essa dieta não deve ser seguidas por muito tempo, muito menos sem orientação nutricional, pois podem comprometer a saúde por não estar completa, apresentando carências nutricionais como de calorias, algumas vitaminas e minerais necessários a um individuo.

É importante deixar claro que a dieta desintoxicante não deve ser realizada com o objetivo de perda de peso. Vale a pena lembrar que qualquer dieta da moda não propõe uma real reeducação alimentar e que milagres para perda de peso não existem.

Saiba como reduzir o contato com algumas toxinas:

- Preferir  alimentos orgânicos;

- Evitar guardar alimentos em potes plásticos e aquecê-los nestes recipientes;

- Preferir alimentos guardados em vidros;

- Evitar produtos cárneos que possivelmente contenham resquícios hormonais;

- Pesquisar nas rotulagens nutricionais se há utilização de corantes;

- Evitar o contato direto de alimentos com o alumínio (ex: panelas, utensílios);

- Evitar alimentos muito coloridos (balas, chicletes, etc.);

- Dê preferência as frutas e verduras da época e de seu tamanho original (pequenas).

Agora que tal incluir um SUCO desintoxicante no seu dia a dia?

SUCO

. Maracujá – 2 unidades

. Limão – 1 unidade

. Couve – 1 folha

. Linhaça – 1 colher sobremesa

Modo de Preparo: Bater todos os ingredientes no liquidificador e beber imediatamente!

Obs: É importante lembrar que ainda há necessidades de mais estudos nesta área devido muitas controvérsias.

Fonte:  ANutricionista.Com - Daniela Mendes Tobaja - CRN3 27602 - Nutricionista em Piracicaba.

Bulcão R. P. Tonello R., Piva S. J., et al. Intoxicação em cães e gatos: diagnóstico toxicológico empregando cromatografia em camada delgada e cromatografia líquida de alta pressão com detecção ultravioleta em amostras estomacais. Cienc. Rural v.40, n 5, maio, 2010.

Ferraro M. V. M. AVALIAÇÃO DE TRÊS ESPÉCIES DE PEIXES – Rhamdia quelen, Cypr inus carpio e Astyanax bimaculatus, Como potenciais bioindicadores em sistemas hídricos através dos ensaios: cometa e dos micronúcleos. Tese de Doutorado apresentada ao Curso de Pós-Graduação em Genética, Setor de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Paraná, como requisito parcial à obtenção do grau de Doutor em Ciências Biológicas área de concentração Genética, 2009. Disponível em: http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/bitstream/1884/17868/1/TESE%20DOUTORADO%20MVF.pdf

Filho V.W., Gattas G. J. F. Biomarcadores moleculares em câncer: implicações para a pesquisa epidemiológica e a saúde pública Cad. Saúde Pública vol.17 no.3 Rio de Janeiro May/June 2001

Stangherlin E. C. Exposição materna ao ditelureto de difenila causa alterações comportamentais e bioquímica em filhotes de rato. Tese de doutorado, 2007. Disponível em: http://www.ufsm.br/ppgbtox/Documentos/tese%20eluza.pdf

Teixeira A. Xenobióticos x Orgânicos. Revista Nutrir, pg 49-51,Outubro , 2009. Disponível em: http://www.crn3.org.br/atualidades/revistas/arquivos/nutrir_02_12.pdf
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário