Diabetes Tipo 2 – Creatina ajuda a controlar?

por Nutricionista Bianca Dena Alvarez - CRN8 6797

diabetes_illus250x03

Sim! A Creatina controla os níveis de Diabetes Tipo 2, vamos saber mais sobre isso?

É comprovada científicamente por estudos de imensa qualidade e competência!  Mas vamos primeiro saber o que é a Creatina (é composta por três aminoácidos de alto valor biológico: glicina, arginina e metionina), pois ela está no topo dos suplementos mais procurados! Foi descoberta em 1835 pelo pesquisador francês Chevreul, é uma proteína composta derivada de aminoácidos aliada a prática de exercícios regularmente melhora o controle glicêmico de pessoas portadoras de Diabetes Tipo 2.

Em um recente estudo de pesquisa do Laboratório de Nutrição e Metabolismo da Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da USP revelam que a creatina ajuda a controlar a taxa de açúcar no sangue elevada em diabéticos.

A Diabetes Tipo 2 é caracterizada pela incapacidade das células absorverem glicose  da corrente sanguínea, o que é explicado pela resistência do organismo à ação da insulina, ou seja, um aumento da taxa de açúcar na corrente sanguínea. As principais indicações médicas para o controle da doença são a prática de atividade fisica e o uso de hipoglicemiantes orais. Um dos maiores fatores para o aparecimento do diabetes é a Obesidade.

Os estudos constataram que a suplementação de creatina, juntamente com os exercícios físicos, é mais eficiente no tratamento da doença do que os exercícios praticados isoladamente e tão eficiente quanto à metformina – medicamento mais empregado no tratamento de diabetes tipo 2. Além disso, relataram também que a eficácia da creatina foi observada em conjunto às atividades, ou seja, apenas a suplementação de creatina, sem treinamento físico, poderia não resultar em benefícios. As melhoras observadas se explicam, pois a creatina atuou no deslocamento, chamado de translocação, da proteína GLUT-4 (que é localizada dentro da célula, onde sua função é de se mover do interior até a superfície, e ‘pegar’ o açúcar que está fora, no sangue, e transferi-lo para dentro da célula). Em diabéticos tipo 2 essa função não é realizada em níveis adequados. Ela é um suplemento ergogênico utilizado visando o aumento na massa muscular, força e velocidade.

A cretina pode ser encontrada em peixes, carne vermelha e entre outras, ela oferece energia ao músculo e pode ser armazenada em abundância no tecido muscular, ou produzida no organismo pelos rins, pâncreas e fígado.

Proibição:

Até o final do mês de Abril, suplementos alimentares de cretina tinham sua comercialização proibida pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), pois se alegava que os efeitos nocivos à saúde não eram conhecidos, porém, inúmeras pesquisas científicas já comprovaram que o composto, produzido naturalmente pelo organismo, nao é  prejudicial à saúde se ingerido moderadamente. No estudo foi constatado que não houve nenhum prejuízo para a saúde em pacientes que usaram a creatina em doses de cinco gramas por dia utilizadas por três meses.

A creatina tem um potêncial terapêutico excelente e pode ser essencial no tratamento de muitas doenças caracterizadas por perdas de forças, massa múscula e óssea e principalmente a sensibilidade pela insulina.

Caso você seja um portador de Diabetes tipo 2 consulte um nutricionista para que o mesmo o indique qual a prescrição correta para o seu caso e para melhor orienta-lo e avalia-lo que é fundamental para que não ocorra complicações e comprometimento à saúde.

Fonte:  ANutricionista.Com - Bianca Dena Alvarez - CRN8 6797 - Nutricionista em Maringá.

Agência USP de Notícias. Disponivel: http://www.usp.br/agen/?p=28993, 19 de outubro 2010.
Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes. Rio de Janeiro:Diagraphic, 2007.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário