Desempenho sexual, obesidade e alimentos

por Nutricionista Angelita Grebin Ewald - CRN2 8064

desempenho sexual

No nosso dia a dia, as pessoas querem ter um melhor desempenho em tudo, inclusive nos relacionamentos sexuais, mas quase ninguém fala muito sobre isso, não é mesmo? Mas como praticamente todo mundo (sexualmente ativo, eu digo) passa por isso de uma forma satisfatória ou não, escolhi este tema porque eu acredito ser de suma importância na vida das pessoas. Vida sexual ativa e satisfatória também faz parte da saúde e qualidade de vida.

Problemas como, por exemplo: dificuldades de ereção, frigidez, ejaculação precoce, de vontade ou libido são questões que a maioria das pessoas não comenta nem com os melhores amigos.

Abordaremos este assunto do ponto de vista nutricional e também emocional uma vez que este aspecto está inevitavelmente envolvido em tudo na nossa vida.

Como já é sabido, e muito se tem comentado atualmente, quem não segue uma alimentação saudável e equilibrada, acaba sendo vítima de uma série de problemas de saúde. A saúde sexual é um dos primeiros sinais, embora as pessoas nem o percebam.

De acordo com estudos na área da psicologia, uma pessoa que se sente gorda demais, tem mais chances de se deprimir. Mas há também pesquisas mostrando que indivíduos que se alimentam bem, fazem exercícios regularmente e se sentem bem com seu corpo, tendem a ter maior auto-estima.

Estudos realizados por duas revistas, Journal of American Medical Association(JAMA) e Obesity confirmam o que já se tem afirmado com muita freqüência nos meios de comunicação,  que a alimentação equilibrada pode mudar para melhor várias coisas na sua vida, inclusive a atividade sexual.

O estudo do JAMA, que durou dois anos, foi realizado com 110 homens com idade entre 35 e 55 anos, que tinham em comum a obesidade (Índice de Massa Corpórea acima de 30) e dificuldades de ereção. Concluiu-se que aqueles que tinham perdido cerca de 10% do peso, com dieta adequada e exercícios físicos regulares, voltaram a ter um bom desempenho sexual. E o outro grupo, que recebia apenas informações sobre uma alimentação saudável, a redução no peso, no total, não chegou a ser significativa. E não houve mudanças no desempenho sexual.

No estudo da Obesity, participaram 500 pessoas (homens e mulheres) submetidas a um programa intensivo para perda de peso e modificações do estilo de vida. Foram avaliados nos quesitos apetite sexual, desempenho sexual, entre outros. A pesquisa mostrou que os maiores IMC (Índices de Massa Corporal) estavam associados com uma diminuição da qualidade de vida sexual.

Os maiores prejuízos relatados ficam por conta das participantes do sexo feminino, comparados com os homens. A perda de apetite e desempenho sexual, bem como a fuga dos encontros sexuais foi associada ao excesso de peso destas mulheres.

E com base nestes dados, acabamos caindo no mesmo ponto: alimentação saudável. Falemos então, um pouco mais sobre alimentos.

Há milênios que relacionam determinados alimentos com o desejo sexual. Alimentos afrodisíacos e que fazem milagres no desempenho na cama ainda precisam de estudos, pois carecem de comprovação científica.

Alguns alimentos têm na sua composição elementos capazes de gerar benefícios que, aliado a uma alimentação saudável e a prática de exercícios regulares podem levar a uma melhora na capacidade sexual. São eles :

- Amendoim: protéico, energético e tem vitamina B3 que proporciona a vasodilatação, facilitando a irrigação de sangue nos órgãos genitais. (idem para todos outros órgãos)

Ostra: rica em zinco, que induz à produção de hormônios ligados ao sexo, facilitando a secreção vaginal.(não mexe com o desejo, é hormonal)

Chocolate: cacau é rico em l-arginina (aminoácido), que produz oxido nítrico, que tem efeito vasodilatador. Por aumentar os níveis de serotonina melhora o humor e provoca sensação de prazer.

Gengibre: estimula o sistema circulatório e ajuda a prolongar a função erétil.

Pimenta: contém capsaicina, que aumenta a freqüência cardíaca e a circulação sanguínea, além de efeito estimulante na circulação dos órgãos genitais.

Gergelim: fonte de magnésio e ácidos graxos que regulam as prostaglandinas, necessárias para produzir hormônios sexuais.

A literatura médica já associa algumas substâncias aos hormônios sexuais. A cenoura é rica em betacaroteno, precursor da vitamina A, essencial para a produção dos hormônios sexuais. Já o camarão é rico em zinco, substância eficaz na liberação desses hormônios.

OBS.: Ovo de codorna: é um mito, pois é um alimento riquíssimo em proteínas e possui grande quantidade de vitamina B1 e B2, ferro, manganês, cobre, fósforo e cálcio, mas não possui nenhuma substância que potencialize o apetite sexual.

Lembremos, pois, que a palavra afrodisíaca tem origem grega – aphrodisiakos -, que faz referência à deusa do amor, Afrodite.

O sexo é uma pratica que só trás bons sentimentos e energias para homens e mulheres. Concluímos que é preciso haver um equilíbrio entre corpo, mente e alma. Quem tem uma alimentação saudável se sente melhor, quem se sente melhor tem mais disposição para fazer exercícios, quem se exercita se relaciona melhor com seu corpo, quem tem a mente povoada por bons pensamentos, por sua vez se relaciona melhor com sua alma, e com isso se sente mais disposto para fazer projetos, planos e desejar uma vida melhor.

O resultado disso tudo, é uma vida mais saudável, tanto no trabalho, como na família, como na cama. E se você está mais saudável e feliz, também terá uma atividade sexual mais intensa, e prazerosa.

Fonte:  ANutricionista.Com - Angelita Grebin Ewald - CRN2 8064 - Nutricionista em Lajeado.

http://www.jocelemsalgado.com.br

https://maximoasinelli.wordpress.com/tag/alimentos-afrodisiacos/

http://www.drcarlosdecarvalho.com.br/artigo/5-Excesso-de-peso-reduz-desempenho-sexual-.htm

http://www.abril.com.br/noticias/comportamento/alimentos-podem-ajudar-desempenho-sexual-nutrologo-477773.shtml
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Um Comentário para “Desempenho sexual, obesidade e alimentos”

  1. Laura comentou:

    Ótimo artigo!
    Um assunto tão importante como esse, tratado com tanto profissionalismo é de se elogiar! Parabéns!

Deixe um comentário