Constipação intestinal e Alimentação

por Nutricionista Tania A. Mesquita de Oliveira - CRN4 007100680

prisao_de_ ventre A constipação intestinal, também conhecida como prisão de ventre, é um problema que atinge uma parcela considerável da população brasileira. Neste artigo iremos tratar do assunto de uma maneira simples e prática dando sugestões simples para evitar e/ou corrigir esse problema tão comum.

O que é constipação intestinal?

Mais conhecida como prisão de ventre a constipação intestinal é um problema que atinge grande parcela da população moderna. A constipação é caracterizada pelo número de evacuações inferior a três vezes em uma semana;  pela diminuição do número de evacuações considerado usual nos últimos meses, ou, dificuldades para evacuar normalmente.

A constipação intestinal pode muitas vezes ser um sintoma de algum outro problema gastrointestinal, ou somente conseqüência de uma alimentação  pobre em fibras. Outros fatores além da alimentação também influenciam o surgimento da constipação, como idade, mais comum em idosos, sexo feminino sofre mais com o problema, e nível de atividade física, mais comum em indivíduos sedentários.

Para saber a causa da constipação intestinal é indicada uma consulta médica acompanhada de exames laboratoriais. O tratamento mais eficaz é feito pela suplementação de fibras naturais (através dos alimentos) ou de fibras manipuladas em farmácias de homeopatia. A primeira opção é sempre bem vinda e eficaz na maioria dos casos de constipação intestinal. O uso contínuo ou esporádico de medicamentos laxativos é terminantemente prejudicial!

Conseqüências da Constipação Intestinal

A constipação intestinal, definitivamente, causa um transtorno considerável ao organismo. O resultado desse estresse pode ser percebido de diversas maneiras. O inchaço e dor abdominal são os sinais percebidos em um primeiro momento, com o passar do tempo outros sinais começam a surgir como: mal humor, irritabilidade, cansaço, pele oleosa e gases.  Em longo prazo a constipação intestinal pode contribuir para o aparecimento de doenças mais graves como apendicite, câncer de cólon, obesidade e diabetes.

Alimentação e Constipação

Os alimentos podem ser divididos em dois grupos principais: laxantes e constipantes.

De uma maneira simples para evitar a constipação intestinal deve-se dar preferência ao grupo dos alimentos laxativos e evitar o alimentos constipantes. Não estamos falando aqui de nenhuma dieta especial e sim combinar os alimentos de maneira certa e aderir isso como rotina alimentar. Abaixo uma pequena listagem dos alimentos constipantes e laxantes.

Constipantes: arroz, chá preto ou mate, batata, chuchu, cará, inhame, ovo cozido, presunto, salsicha, pães, banana-maçã, caju, goiaba, maçã, bolachas, cenoura cozida, mandioca.

Laxantes: verduras em geral, aveia, abacate, azeitona, ameixa, abóbora, óleos vegetais, abacaxi, cebola, feijões, lentilha, repolho, creme de leite, pepino, tomate, chocolate, iogurte, quiabo, grão de bico, manteiga, sorvete, mamão, laranja, castanhas, manga, maçã, limão (suco concentrado), pêra.

Um detalhe importante na prevenção da constipação intestinal é a hidratação. Tomar no mínimo 2 litros de água por dia (equivalente a 8 – 10 copos) é imprescindível pra o funcionamento intestinal adequado. Outra dica, não menos importante, é manter o corpo ativo, a atividade física também ajuda na regulação do trânsito intestinal.

Observação

Esse artigo tem caráter apenas instrutivo e aplica-se a parte da população que é saudável, não substituindo consultas de nutricionistas e médicos. Ao ser observado qualquer acontecimento anormal deve-se consultar um profissional da área.

Fonte:  ANutricionista.Com - Tania A. Mesquita de Oliveira - CRN4 007100680

Referências Bibliográficas:
LOPES,Adriana Cruz; VICTORIA,Carlos Roberto, Ingestão de fibra alimentar e tempo de trânsito colônico em pacientes com constipação funcional, Arquivo de Gastroenterologia v. 45 – no.1 – jan./mar. 2008

GOMES Rosane C., MARANHÃO Hélcio S., PEDROSA Lúcia de Fátima C.; MORAIS Mauro B.,Consumo de fibra alimentar e de macronutrientes por crianças com constipação crônica funcional, Arquivo de Gastroenterologia v. 40 – no. 3 – jul./set. 2003.

MAFFE,V. L. Helga, Constipação crônica funcional.Com que fibra suplementar?, Jornal de Pediatria - Vol. 80, Nº3, 2004.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Um Comentário para “Constipação intestinal e Alimentação”

  1. Joaquim comentou:

    É desanimador saber que a própria ciência – raíz do saber – não consegue chegar a um consenso. Me refiro ao fato de que ninguém ter a certeza de que a maça faz bem para prevenir e tratar da constipação ou não. Uns insistem em comentar que ela é constipante e por isso não deve ser ingerido por pessoas com prisão de ventre. Outras pessoas, no entanto, insinuam exatamente o contrário, que ela ajuda a combater e prevenir este problema. Aqui, neste artigo, por exemplo, a maça se enquadra como laxativa e constipante. Não é exatamente um erro, pois o erro é da ciência, que até hoje não tem a mínima vontade de solucionar esta dúvida tão importante para o ser humano e sua saúde.

Deixe um comentário