Como ajudar seu filho a comer direito

por Nutricionista Angelita Grebin Ewald - CRN2 8064

PAI-E-FILHO

Muitos pais me perguntam: Como posso ajudar meu filho a comer direito”?

A primeira resposta que sempre dou é: “Dando um bom exemplo”. E dar bom exemplo vai muito além de comer alface no almoço todos os dias. Não adianta falar em alimentação saudável, se levamos para casa refrigerante toda a semana.

Da mesma forma, se chegamos em casa cansados de noite e comentamos orgulhosos: “O dia estava tão corrido hoje, que nem consegui almoçar direito, lá pelas 15:00 hs comi rapidamente cachorro quente e um refrigerante.  A que conclusão seu filho chegará? Principalmente, se para ele você é um herói e o que ele mais quer quando crescer é ser como você? Concluirá que isso é normal e continuará sua saga. Tenho certeza que  não é este tipo de  qualidade de vida que você quer para seu filho.

Exemplos não são feitos somente de ações isoladas, envolvem palavras, diálogos, sentimentos, gestos, e inclusive um olhar carinhoso.
Um bom exemplo começa com um bom café da manhã em família, sem pular refeições, com a organização diária do lanche a ser levado para a escola.
Sabendo da vida corrida que levamos divido algumas estratégias para melhorar a alimentação na esperança de multiplicar bons hábitos alimentares:

  • Estimule seu filho a ter uma postura crítica diante dos comerciais sobre alimentos;
  • Não estocar em casa biscoitos, chocolates, batatas-fritas, refrigerantes e etc;
  • Evitar alimentos fritos e não adicionar gordura desnecessária durante o preparo;
  • Remover toda a gordura visível da carne, escolher produtos magros;
  • Estimule o consumo de frutas e produtos integrais;
  • Ofereça sempre vegetais nas refeições;
  • Não liberar refrigerantes durante a semana;
  • Evite as refeições a frente da TV e computador;
  • Estimule-o a conhecer novos sabores e envolva-se;
  • Permita que ele participe da sua própria alimentação, observando o cardápio da escola, desde as compras, até o preparo ajudando a decidir sobre o que é saudável;
  • Não trocar um alimento por outro solicitado pela criança;
  • Evite alimentos super industrializados.

Vamos refletir: temos muito a ganhar ajudando nossos filhos a desenvolverem bons hábitos alimentares, principalmente no que se refere à prevenção de doenças relacionadas com a alimentação como diabetes, hipertensão, cardiopatias, que hoje já assombram infelizmente  a infância de muitas crianças.

Fonte:  ANutricionista.Com - Angelita Grebin Ewald - CRN2 8064 - Nutricionista em Lajeado.

BRASIL. Ministério da Saúde. Atenção Integrada às Doenças Prevalentes da Infância. Brasília, 1999

Artigo de minha autoria, motivado e solicitado pelas escolas em que trabalho.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário