Carotenóides: importantes para a saúde e a estética

por Nutricionista Perla Menezes Pereira - CRN3 14198

Os carotenóides são uma classe de compostosbioativos abundantes em células vegetais. São conhecidos mais de 600 tipos de carotenóides – destes 20 são precursores de vitamina A. O betacaroteno e o licopeno são carotenóides mais presentes na corrente sanguínea.

É importante salientar que:

O aproveitamento dos carotenóides no organismo depende da capacidade de absorção intestinal e da forma de preparo do alimento.

A absorção intestinal dos carotenóides ocorre de forma semelhante à das gorduras. Daí a importância de ingestão da quantidade adequada de gordura para que a absorção dos carotenóides seja maximizada.

Os estudos também revelam que a capacidade de absorção intestinal dos carotenóides de vegetais crus é inferior a dos vegetais submetidos ao cozimento.

Mas, qual é a função dos carotenóides para a saúde?

  • Betacaroteno: potente antioxidante com ação protetora contra as doenças cardiovasculares.
  • Luteína e zeaxantina: protegem contra o desenvolvimento de degeneração macular de catarata.
  • Luteína, licopeno e zeaxantina: proteção contra o desenvolvimento de certos cânce.
  • Betacaroteno, criptoxantina e zeaxantina: ao serem transformados em retinol (vitamina A) no organismo, agem mantendo a integridade da pele e das mucosas, mantém a função imunológica e a multiplicação celular.

Os carotenóides dos vegetais possuem a coloração amarela, laranja e vermelha, o que auxilia na identificação dos alimentos fonte.

Os alimentos fonte de carotenóides são abundantes: espinafre, couve, abóbora, milho, batata-doce, cenoura, tomate, beterraba, manga, melancia, pêssego, pequi, gema de ovo, os óleos de palmeiras – dendê e buriti, tucumã, macaúba, pupunha, verduras brasileiras nativas – taioba e bredo, temperos – páprica, urucum (colorífero).

Como explicar os benefícios dos carotenóides para o envelhecimento?

O envelhecimento é caracterizado pelo aumento da produção de radicais livres e pela diminuição da capacidade de regeneração dos tecidos. Os carotenóides atuam, nos tecidos e na pele, sequestrando e inativando os radicais livres, estimulando a comunicação celular e aumentando a resposta imunológica contra agressores causadores de processos inflamatórios.

Entre os tipos de carotenóides, observa-se que o sequestro e inativação dos radicais livres é maximazada para o licopeno, alta para a astaxantina, intermédiária para o  betacaroteno seguida pela luteína, com ação um pouco menor.

Estes compostos bioativos são potentes antioxidantes que, juntamente com a vitamina C, o folato, o selênio, o cobre  e o zinco, atuam na pele , trazendo saúde e estética.

O Brasil possui uma quantidade muito variada de frutas e hortaliças. Apesar disso, pesquisas mostram o baixo consumo desses alimentos pela população – apenas 18,9% das pessoas consomem as 5 porções recomendadas de frutas e hortaliças, segundo pesquisa do Ministério da Saúde em 2009. Isso é preocupante e caracteriza problema de saúde pública, pois esses alimentos podem previnir o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e certos cânceres – doenças que mais afetam e causam mortalidade no Brasil.

Desse modo, a dieta balanceada rica em frutas e hortaliças variadas é muito importante para a prevenção de doenças e do envelhecimento e deve ser encorajada para toda população. Entretanto, a suplementação nutricional com carotenóides deve ser indicada apenas por nutricionistas e médicos porque estes bioativos influenciam a atuação de vitaminas do complexo B e devem ser usadas segundo critérios específicos.

Fonte:  ANutricionista.Com - Perla Menezes Pereira - CRN3 14198 - Nutricionista em Ribeirão Preto.

Referências Bibliográficas:
Ambrósio CLB, Campos FACS, Faro ZP. Carotenóides como alternativa contra a hipovitaminose A. Rev Nutr. 2006; 19(2): 233-243.

Edwards AJ, Vinyard BT et al. Consumption of watermelon juice increases plasma concentration of lycopene and B-carotene in humans. J Nutr. 2003; 133(4): 1043-1050.

Ramalho RA, Flores H, Saunders C. Hipovitaminose A no Brasil: um problema de saúde pública. Rev Panam Salud Publica. 2002; 12(2): 117- 122.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário