Camu camu seria a nova arma contra o colesterol alto?

por Nutricionista Francis Moura Santos - CRN5 3243/P

camu camu

Camu camu, caçari ou araçá d’água é um arbusto que cresce de forma silvestre na beira de rios e lagos de água preta, onde permanece submerso por quatro a cinco meses. Apesar de crescer submersa, a planta tem demonstrado uma boa adaptação à terra firme, onde há floração praticamente todo o ano, sendo o seu pico de produção durante os meses de abril a julho.

Trata-se de um fruto globuloso, com 10 a 32 mm de diâmetro, de coloração variando entro o vermelho, rósseo e roxo, a depender do grau de maturação. Por ser uma fruta ácida, dificilmente é consumido na sua forma natural, porém na Amazônia peruana o camu-camu é utilizado na preparação de sucos, sorvetes, picolés, geléia, doces, licor e até em tortas e sobremesas.

Nos últimos anos a fruta tem chamado a atenção dos pesquisadores devido ao seu alto teor de ácido ascórbico, a famosa vitamina C. Com teores que variam de 845mg a 2994mg a cada 100g do fruto, o camu-camu possui uma quantidade de vitamina C maior que a maioria das plantas cultivadas, inclusive a acerola.

Além do alto teor de vitamina C, o fruto possui uma boa quantidade de quercetina (400mg/100ml de suco), um flavonoide que apresenta uma importante ação antioxidante. Também é possível encontrar nesse fruto uma quantidade de minerais que apesar de não ser expressiva,  pode contribuir para que a ingestão diária recomendada possa ser atingida. Por conter uma pequena quantidade de carboidratos e lipídeos, o fruto pode ser classificado como de baixa densidade energética, tornando-se uma alternativa para as pessoas que necessitem de restrição energética.

A partir do que foi descrito até o momento, podemos concluir que essa seria uma ótima fruta para introduzirmos em nossa alimentação do dia a dia, né? E é exatamente por isso que ela vem sendo bastante estudada por pesquisadores.

No começo desse ano foi publicado, na Revista Brasileira de Nutrição, um artigo científico mostrando o efeito do camu-camu na melhora do perfil lipídico de camundongos. No estudo foram avaliados os seguintes indicadores: colesterol total, LDL-c, HDL-c, triglicérides, colesterol fecal e colesterol hepático. Ao final do estudo os pesquisadores concluíram que o suco de camu-camu tem ação moduladora do perfil lipídico, ou seja, em casos de dislipidemia, a ingestão do suco atuaria controlando, ou até prevenindo, distúrbios na utilização da gordura em nosso corpo.

A pesquisa foi feita com doses de 0,4 ml/Kg, 4,0 ml/Kg e 10,0 ml/kg de peso corporal, onde foi observado que o suco a 10mL/Kg foi mais efetivo em reduzir o colesterol e o LDL-c. As concentrações de HDL-c não sofreram alterações.

Os antioxidantes têm se mostrado importante na alimentação dos pacientes que necessitam tratar uma dislipidemia (alterações nas concentrações sanguíneas de gordura), principalmente, com o objetivo de evitar a oxidação LDL-c (o famoso colesterol ruim) pelos radicais livres, o que poderia causar danos maiores ao nosso organismo.

Apesar de todos os benefícios que essa frutinha pode trazer a nossa saúde, a sua produção no Brasil ainda é escassa. Por falta  de incentivo na produção, o camu-camu ainda é pouco produzido e comercializado. A produção de polpa não chega a 20 toneladas por ano, sendo o estado do Amazonas o seu maior produtor. No Pará a fruta começou a ser produzida em área de terra firme, porém sua produção ainda é pequena, de 5 toneladas de polpa por ano. Atualmente o Peru é o maior produtor, chegando a produzir 800 toneladas de polpa ao ano, que são exportadas para o Japão e America do Norte. O estado de São Paulo chegou a cultivar a fruta, mas apesar da boa adaptação, a produção não era regular e por isso deixou de ser exportada.

Mas é bom lembrar que apesar de rica em vitamina C e das recentes descobertas, a fruta sozinha não é capaz de fazer milagres. Por isso, se você tem  um colesterol alto, procure um profissional nutricionista que irá inserir o consumo do camu-camu dentro de uma alimentação saudável e equilibrada, específica para o seu caso.

E agora, vamos tomar um suco de camu-camu?

Fonte:  ANutricionista.Com - Francis Moura Santos - CRN5 3243/P - Nutricionista em Salvador.

Cultivo do camu-camu. Disponível em: . Último acesso em: 01/06/2012.
XAVIER, Gustavo; FERRO, Rogério. Vitamina camu-camu. Disponível em: . Último acesso em: 02/06/2012.
SHWERTZ, et. al. Efeito hipolipidêmico do suco de camu-camu em ratos. Rev. Nutr., Campinas, 25 (1): 35-44, jan./fev., 2012.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário