Antioxidantes – Conheça os varredores de radicais livres!

por Nutricionista Adriana Fernandes Miranda - CRN4 09100076

antioxidantes

Os radicais livres são formados a partir do metabolismo das nossas células, mas em quantidades maiores podem tornar-se um problema causando uma série de doenças, como alguns tipos de câncer e o envelhecimento precoce. Em condições naturais e ideais de vida, o nosso sistema antioxidante natural do nosso próprio organismo (moléculas que combatem o excesso de radicais livres), pode eliminar os radicais livres com substâncias que conseguem “varrer” esses radicais. Fazendo parte do sistema antioxidante natural do nosso corpo, estão as enzimas. Existem também outros tipos de antioxidantes, como a Vitamina A, Vitamina C e Vitamina E.

Todavia, há condições em que ocorre um desequilíbrio, no qual a balança acaba pendendo para o lado dos radicais livres. As causas são desde uma dieta inadequada, que empobreça o sistema antioxidante, até um aumento na produção de radicais livres.

A má alimentação, o estresse, a poluição, o tabagismo, as radiações ionizantes (como raio-X), a pressão alta, o diabetes, as gorduras indesejáveis aumentadas no sangue, as infecções por vírus e bactérias, a má oxigenação do sangue, o avanço da idade e os radicais livres são fatores que causam lesões prejudiciais às células do corpo, colocando-as em risco, principalmente no sexo masculino, facilitando a trombose, a aterosclerose, e a contração prejudicial dos vasos sangüíneos, mesmo frente aos benéficos exercícios físicos.

Vários compostos possuem ação complementar para os antioxidantes naturais, sendo essenciais na proteção contra os radicais livres em excesso. O intestino saudável também é  fundamental, pois permite a boa absorção de nutrientes, entre os quais estão os antioxidantes.

As principais substâncias antioxidantes dos alimentos são:

  • Vitamina A ou retinol (fígado, cenoura);
  • Vitamina C ou ácido ascórbico (mamão, brócolis, laranja);
  • Vitamina E ou tocoferol (azeite, cereais, verduras);
  • Magnésio (cereais integrais, castanhas), zinco , cobre e manganês (castanhas, legumes, grãos integrais), cromo (grãos integrais) e selênio (castanhas);
  • Betacaroteno ou pró-vitamina A (da cenoura);
  • Licopeno (do tomate, goiaba, mamão, pitanga e melancia);
  • Fenólicos (da uva roxa e chás de Camellia Sinensis);
  • Resveratrol (da uva roxa).

A saber, um pouco das vitaminas:

A Vitamina A além de ser varredora de radicais livres, protege a pele, as mucosas, a retina dos olhos, o crescimento celular,  e o sistema imunológico. A Vitamina C pode proteger o organismo contra as agressões causadas pelo tabagismo. A Vitamina E prolonga a vida e evita inúmeras doenças.

Os alimentos ricos em antioxidantes, encontram-se em especial nos vegetais, mais um motivo pelo qual nós, nutricionistas, fazemos questão de destacar a importância das frutas, legumes e cereais na saúde e qualidade de vida. Estudos em todas as partes do mundo mostram os efeitos desses grupos de alimentos na diminuição do risco de incidência de certas patologias, principalmente aquelas relacionadas ao envelhecimento.

Estes alimentos, quando ingeridos regularmente, podem reduzir o risco de desenvolvimento de diversos problemas de saúde, como por exemplo o câncer a a hipertensão, havendo aí mais um bom motivo para incluí-los na dieta.

De modo geral, a proteção contra radicais livres se faz evitando o tabagismo, alimentos com aditivos, proteção ambiental (evitar poluição), a obesidade, as gorduras elevadas no sangue, o controle da pressão arterial e do diabetes, alimentação correta, suplementação dietética (somente com prescrição de nutricionista ou médico) e exercícios físicos reagulares.

As pessoas devem estar cientes que tais alimentos não são milagrosos, mas devem sim fazer parte de uma dieta equilibrada e hábitos de vida saudáveis.

Fonte:  ANutricionista.Com - Adriana Fernandes Miranda - CRN4 09100076 - Nutricionista no Rio de Janeiro.

Referências Bibliográficas:
OLIVEIRA, JTG. Alimentação Funcional. Prolongando a vida com saúde. Editora Claridade, São Paulo, 2006.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário