Anemia Ferropriva, entenda mais!

por Nutricionista Tania A. Mesquita de Oliveira - CRN4 007100680

cansaco

Muito é comentado sobre anemia, mas nem todas as pessoas estão atentas aos seus sintomas e a sua prevenção. Existem mais de um tipo de anemia, porém nesse artigo iremos abordar apenas a anemia ferropriva, por ser a forma mais comum de ser encontrada na população brasileira e mundial.

Anemia

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define anemia como a  condição na qual a quantidade de hemoglobina no sangue está abaixo do normal, independente de qual seja a causa dessa deficiência. Vale esclarecer que a hemoglobina é um pigmento presente nos glóbulos vermelhos do sangue, esse tipo de célula é responsável por captar o oxigênio vindo dos pulmões e transportá-lo por todos os tecidos o corpo.

Segundo a Organização Mundial de Saúde a anemia atinge 30 % da população mundial, onde a metade desse total é composto por crianças menores de 2 anos. Mas enganam-se quem pensa que anemia é doença só de criança. Mulheres, homens, adolescentes, gestantes e idosos também estão expostos a sofrerem da doença. O fato de que iremos nos ater apenas a anemia do tipo ferropriva neste artigo justifica-se porque 90% dos casos de anemia tem como causa a deficiência de ferro.

Anemia Ferropriva

Quando a quantidade de hemoglobina no sangue não é suficiente devido à deficiência de ferro chamamos de anemia ferropriva. As quantidades de hemoglobina são diferentes para mulheres, crianças e gestantes. Para estar atento a este mal é válido conhecer os sintomas da doença.

Sintomas

Os principais sintomas da anemia ferropriva são: cansaço constante, fadiga ao menor esforço, indisposição, falta de concentração, baixa na capacidade de resposta imunológica, palidez e falta de apetite (anorexia), em estados mais avançados da doença é possível também observar tontura e desmaios.

Causas e Prevenção

A causa mais comum da anemia ferropriva  em crianças e adultos é a alimentação inadequada crônica, ou seja, quando o indivíduo mantém uma dieta pobre em alimentos de fonte animal, vitamina C e vegetais que também contém ferro. Vale também destacar que na mulher volume exagerado do fluxo menstrual (hipermenorréia), e nos homens sangramentos crônicos no trato gastrointestinal como: gastrites, úlceras e hemorróidas também podem causar anemia. É importante ressaltar que as causas da anemia devem ser investigadas individualmente, pois a anemia pode ser um dos sintomas de doenças mais grave como câncer no intestino.

A melhor maneira de se prevenir contra a anemia ferropriva é mantendo uma alimentação balanceada. Nunca faça suplementação de qualquer tipo de nutriente sem o conhecimento de um médico e/ou nutricionista!

Diagnóstico

O diagnóstico da anemia ferropriva é feito através de exame de sangue, onde é feita a contagem de ferritina e hemoglobina. O exame é prescrito pelo médico ao avaliar o paciente e seus sintomas. Quanto antes diagnosticado e tratado o problema, mais rápida é a resposta positiva ao tratamento, principalmente em crianças que podem ter seu desenvolvimento escolar prejudicado.

Tratamento

O tratamento é simples, feito a partir de suplementação de ferro e vitamina C, já que o organismo precisa da combinação com a vitamina C para aproveitar melhor o ferro ingerido. Uma dieta equilibrada também ajuda a obter melhores resultados e evitar a reincidência da doença.

Tempo de tratamento

O tempo de tratamento é relativo e depende do grau de deficiência apresentado pelo paciente. Como parâmetro temos o tempo que o organismo demora para produzir mais hemoglobina, que é de 90 à 120 dias, mas também é necessário repor os estoques de ferro no organismo, podendo então o tratamento chegar até 6 meses de duração.  Por isso, não espere muito tempo antes de procurar ajuda especializada quando algo não vai bem com o seu corpo!

Fonte:  ANutricionista.Com - Tania A. Mesquita de Oliveira - CRN4 007100680

Site: www.oms.int

LACERDA, Elisa; CUNHA, A. José; Anemia ferropriva e alimentação no segundo ano de vida no Rio de Janeiro, Brasil, Rev Panam Salud Publica/Pan Am J Public Health 9(5), 2001.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

2 Comentários para “Anemia Ferropriva, entenda mais!”

  1. Irani Scholz comentou:

    Muito obrigada pelas informações. É importante para melhor observar as crianças com as quais trabalho.

  2. Flavia comentou:

    Apesar de ser um assunto muito comentado e um problema simples de ser tratado, muitas pessoas são ignorantes no assunto e sofrem por causa do problema, muitas vezes não diagnosticado. Como colega na profissão aprovo o artigo. As informações e orientações bem repassadas são sempre bem vindas para nós leitores.

Deixe um comentário