Alimentação na escola: merenda ou cantina?

por Nutricionista Marcella Lamounier - CRN1 3568

lanchesaudaveis

A alimentação desempenha um papel essencial ao longo do tempo de existência das pessoas. A idade escolar é o período em que a criança apresenta um metabolismo muito mais intenso, e uma alimentação inadequada lhe traz consequências orgânicas, como diminuição da capacidade de raciocínio e memorização, deficiência no crescimento e desenvolvimento, alterações de humor, desnutrição ou até mesmo obesidade.

Assim, a escola torna-se um ambiente favorável para o desenvolvimento de ações para a formação e promoção de hábitos alimentares saudáveis, por ser um espaço social onde as crianças passam grande parte do seu tempo (aproximadamente 180 dias por ano) convivendo e apredendo novidades diariamente.

A hora do recreio é um momento em que lanchar com os colegas está associado à competição, comparação e necessidade de serem aceitos pelo grupo. As crianças normalmente desejam comer os mesmos alimentos que seus amigos. Dessa forma, a criança não aceita levar uma fruta para a escola, por exemplo, já que seu grupo de amigos leva ou compra na cantina da escola um salgadinho e refrigerante. Outro problema referente à necessidade de se sentir parte de um grupo vem do fato de que levar lanche de casa é “coisa de pirralho” , período que acabaram de deixar e fazem de tudo para se diferenciarem dos mesmos.

A cantina é um espaço no qual é possível observar, geralmente, a comercialização de alimentos industrializados. O consumo rotineiro desses alimentos pode contribuir para o desequilíbrio da dieta e para o aumento de doenças ligadas à alimentação, como a obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares, etc. Além disso, o valor nutritivo das refeições fica comprometido quando há o aumento da inclusão de alimentos industrializados em detrimento do consumo de alimentos naturais, como as frutas e os vegetais.

Entre os vários produtos vandidos nas cantinas das escolas, podemos citar as balas, pirulitos, doces, chicletes, chocolates, refrigerantes, sucos artificiais, salgadinhos do tipo chips, biscoitos recheados e salgados (muitos deles fritos). Esses alimentos possuem alta quantidade calórica em pequenas porções e baixa concentração ou ausência de nutrientes necessários ao bom crescimento e desenvolvimento das crianças. Quantidades excessivas de sódio, açúcar e gorduras, somadas as baixas quantidasdes de fibras, vitaminas e minerais aumentam os riscos para problemas nutricionais.

As escolas também têm a opção de distribuir aos alunos a merenda (refeição preparada na própria escola). No Brasil, o Programa nacional de Alimentação Escolar (PNAE) regulamenta a distribuição de refeições durante o intervalo das atividades escolares. Ele visa suplementar a alimentação do aluno e formar bons hábitos alimentares, melhorando sua suas condições nutricionais e sua capacidade de aprendizagem. A merenda da escola produzida sob a supervisão de um nutricionista, respeitando um cardápio variado e nutricionalmente equlibrado, é mais vantajoso às crianças.

A comunidade escolar é formada pelos pais, professores, coordenadores, diretores, alunos, donos de cantinas, merendeiros e demais funcionários da escola. Diante dessa diversidade, essa comunidade bem esclarecida e informada pode participar ativamente na orientação de hábitos alimentares saudáveis às crianças. A opção da merenda escolar ou uma cantina com alimentos mais adequados deve tomada em conjunto, sempre com o foco na saúde infantil.

Fonte:  ANutricionista.Com - Marcella Lamounier - CRN1 3568 - Nutricionista em Brasília.

Boccaletto Estela Marina Alves , Mendes Roberto Teixeira. Alimentação, atividade física e qualidade de vida dos escolares do município de Vinhedo/SP. 1° edição. Campinas. 2009.
Schmitz BAS, Recine E, Cardoso GT. A escola promovendo hábitos alimentares saudáveis: uma proposta metodológica de capacitação para educadores e donos de cantina escolar. Cad. Saúde Pública 2008; 24: S312-22.
Sturion GL, Silva MV, Ometto AMH. Fatores condicionantes da adesão dos alunos ao Programa de Alimentação escolar no Brasil. Rev. Nutr. 2005; 18: 167-81.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário