Alimentação e doenças crônicas

por Nutricionista Paulo Henrique Rodrigues - CRN8 6476

Uma alimentação equilibrada fornece ao organismo energia  e nutrientes para o bom desenvolvimento das atividades de cada pessoa, bem como a manutenção da saúde. Desta forma, sabe-se que prejuízos também podem ocorrer devido a alimentação, seja pelo excesso – obesidade – ou pela carência total ou parcial dos alimentos – desnutrição.

Vários estudos demonstram a relação entre alimentação e Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) – hipertensão, diabetes, câncer, etc. Um exemplo clássico, é uma aliementação rica em gordura saturada e o aparecimento de problemas cardiovasculares. Diante de todos os perigos que uma alimentação inadequada pode trazer à população, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabeleceu guias que definem limites seguros para o consumo de determinados alimentos e ou nutrientes.

De alguns anos pra cá, campanhas envolvendo alimentação e nutrição surgem cada vez mais. Entretanto, percebe-se facilmente que todas as informações veiculadas não são devidamente seguidas. Atualmente, a alimentação carateriza-se pelo grande consumo de alimentos muito calóricos e industrializados - ricos em sódio, gorduras e açúcares simples – e reduzido consumo de frutas, verduras e legumes – fonte de vitaminas, minerais e fibras.

As DCNT são uma das maiores causas de morte, principalmente em países desenvolvidos e grandes cidades brasileiras. As DCNT não possuem uma única causa, geralmente seu surgimento se dá pela combinação de fatores genéticos com hábitos de vida, como atividade física e alimentação.

As recomendações dietéticas, para diabetes, hipertensão, colesterol elevado e demais problemas cardiovasculares, podem ser facilmente seguidas. Destaca-se que as recomendações são formuladas por órgãos competentes como a Sociedade Brasileira de Diabetes e Sociedade Brasileira de Cardiologia, por exemplo.

As principais recomendações são:

- Realizar de 5 a 6 refeições por dia, ou seja, comer pequenas quantidades várias vezes ao dia;

- Preferir alimentos integrais (pão, arroz, macarrão, bolachas);

- Aumentar consumo de frutas, verduras e legumes (variando sempre para se obter diferentes vitaminas e minerais);

- Ingerir diariamente leite e/ou derivados (uma das principais fontes de cálcio).

A alimentação é uma forte aliada na prevenção, entretanto, quando diagnosticada a doença, a alimentação deve ser encarada como um tratamento auxiliar ao tratamento medicamentoso, proposto pelo médico. Portanto, comece a cuidar da sua alimetação o quanto antes, ainda mais se existem casos de diabetes, hipertensão, entre outras, na sua família. Cuidar da sua saúde é o melhor presente que você pode se dar.

Fonte:  ANutricionista.Com - Paulo Henrique Rodrigues - CRN8 6476 - Nutricionista em Marialva.

Referências Bibliográficas:
Monteiro, C.A; Mondini, L. Mudanças no padrão alimentar da população urbana brasileira (1962-1988). Rev. Saúde Pública, vol. 6. p. 433-439, 1994.

Willet, W.C. Diet and health: what should we eat? Science, vol. 264. p. 532-537, 1994.

Garcia, R.W.D. Reflexos da globalização na cultura alimentar: considerações sobre as mudanças na alimentação urbana. Rev. Nutr. Campinas, vol. 16. p. 483-492, out./dez., 2003.

Rego, R.A. Fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis: inquérito domiciliar no município de São Paulo, SP (Brasil). Rev. Saúde Pública, vol. 24. p. 277-285, 1990.

Sociedade Brasileira de Cardiologia. Diretriz brasileira de hipertensão arterial. Brazilian Journal of Hypertension, vol. 17. n. 1. jan./mar.,2010.

Sociedade Brasileira de Diabetes. Diretriz brasileira de diabetes.2008.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Um Comentário para “Alimentação e doenças crônicas”

  1. bruna comentou:

    ADOREI ESSA DICA!

Deixe um comentário