Alimentação complementar: Primeiras papinhas

por Nutricionista Glaucia Figueiredo Justo - CRN4 09100413

papinha de bebe

Olá leitores e leitoras.

Hoje venho conversar a respeito da alimentação complementar, mas o que é alimentação complementar?

É a alimentação no período em que outros alimentos ou líquidos são oferecidos à criança, em adição ao leite materno. Atualmente recomenda-se que o aleitamento materno exclusivo (apenas o leite materno) deva ser oferecido até os seis meses, pois este oferece todos os nutrientes necessários para a criança. Posteriormente introduz novos alimentos iniciando uma nova fase na alimentação da criança.

Neste momento muitas dúvidas surgem como por exemplo qual alimento devo introduzir primeiro? O que pode fazer mal para o bebê? Quando a criança consegue mastigar? Vamos conversar um pouco a respeito das dúvidas e orientar a melhor maneira de introduzir os alimentos.

Primeiro lembre-se que o aleitamento materno não deve ser retirado. Deve haver complementação com outros alimentos e o leite do peito deve permanecer até os dois anos de idade.

A partir dos seis meses alimentos como os cereais, tubérculos, legumes  devem ser oferecidos gradualmente, cerca de três vezes ao dia e aumentar a frequência de acordo com os horários das refeições da família.

No inicio da alimentação complementar recomenda-se que os alimentos sejam preparados especialmente para a criança, com pouco ou nenhuma adição de sal ou açúcar. Eles devem ser inicialmente semi-sólidos e macios, sob a forma de papa/ purê, devendo ser amassados e nunca peneirados ou liquidificado, pois ocorre perda de fibras dos alimentos. A consistência da dieta deve ser aumentada gradativamente, respeitando as habilidades da criança. A partir dos oito meses a criança pode receber os alimentos consumidos pela família, desde que amassados, picados, desfiados.  Aos dez meses a criança já deve estar recebendo alimentos granulosos e aos doze meses pode receber os mesmos alimentos consumidos pela família.

Deve-se oferecer a criança diferentes alimentos ao dia, alimentos coloridos com textura variada. Estimule o consumo de frutas frescas, legumes e verduras. Evite frituras, balas, salgadinhos, refrigerante, alimentos com conservantes e corantes artificiais. Interessante também é oferecer suco de fruta ou qualquer outro liquido em copinho e sem adição de açúcar, quando possível.

Lembre-se que a partir deste momento inicia a educação nutricional. Ofereça mais de uma vez aqueles alimentos que não foram bem aceitos. Repetindo o sabor a criança se acostuma cessando a rejeição.

Devemos ter muito cuidado com a higiene dos alimentos oferecidos para a criança. Atenção na qualidade dos ingredientes e os utensílios utilizado na manipulação pois, se houver contaminação por bactéria ou fungo pode desencadear diarréia. Nesta faixa etária a diarréias prejudica rapidamente o estado nutricional.

Em um próximo momento deixarei receitas de preparações para as mamães. Até breve.

Fonte:  ANutricionista.Com - Glaucia Figueiredo Justo - CRN4 09100413 - Nutricionista em Vila Velha.

Referências Bibliográficas:
Vitolo MR. Nutrição da gestação ao envelhecimento. 1a edição. Rio de Janeiro. 2008.

Monte, Cristina; Giugliani, Elsa. Recomendações para alimentação complementar da criança em aleitamento materno. Jornal de Pediatria, Vol. 80, n. 5, 2004.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário