Alergia x Intolerância

por Nutricionista Ana Catarina P. de Aquino Andrade - CRN6 7128

leite de vaca

Você sabe distinguir alergia à proteíma do leite de vaca de intolerância alimentar à lactose? Nem sabia que existiam essas duas versões ou achava que se tratava da mesma coisa? Vamos lá então!

Alergia alimentar: resposta imunológoca adversa aos alérgenos alimentares. A alergia é sempre imunologicamente mediada e é uma reação, em geral, contras às proteínas da dieta. A alergia à proteína do leite de vaca (APLV) é um tipo de reação imunológica específica, mais freqüente no 1º ano de vida.

Intolerância: resposta fisiológica anormal a um agente, não sendo imunomediada. Inclui a intolerância à lactose, diferente da alergia á proteína do leite de vaca, pois não é imunologicamente mediada e trata-se de uma reação contra o açúcar do leite (lactose). Ao passo que a alergia alimentar é imunomediada contra a proteína do leite, a intolerância é contra a lactose por falta ou diminuição da enzima lactase.

Manifestações clínicas: Nas alergias mediadas por anticorpos, o aparecimento ocorre em até 2 h após a ingestão e incluem náuseas, vômitos, dor abdominal e diarréia. Nas alergias não mediadas, os sinais e sintomas aparecem até 72h após a ingestão do alérgeno.

Diagnóstico: da alergia não mediada, é impreciso e baseado na história obtida dos pais. Uma anamnese precisa é importante para determinar o tempo entre a ingestão e o aparecimento dos sintomas. A eliminação de um antígeno fortemente suspeito durante algumas semanas, é geralmente usado e as biópsia endoscópicas do tubo digestivo ás vezes ajudam no diagnostico.

Tratamento: baseado na eliminação do alérgeno específico, tratamentos medicamentosos e medidas preventivas. Uma dieta é fácil de ser prescrita porém difícil de ser seguida sem transgressões, quando o alimento é a base da alimentação, como o leite e derivados na alimentação infantil.

Terapia nutricional: A alergia à proteína do leite de vaca acomete principalmente lactentes e crianças jovens que necessitam de uma atenção especial, pois se encontram em um período de crescimento acelerado, no qual o leite de vaca é, muitas vezes, a principal fonte alimentar. A avaliação antropométrica e a classificação do estado nutricional são fundamentais para planejar e adequar á dieta e as necessidades de cada criança.

As transgressões involuntárias e as dietas mal feitas são causas freqüentes de não resposta ao tratamento. Se a criança estiver em aleitamento materno exclusivo, este deve ser mantido e a dieta de exclusão deve ser prescrita para a mãe.

Fórmulas infantis: A prescrição de fórmula de soja nos 6 primeiros meses de vida não está indicado. As fórmulas à base de aminoácidos são as únicas consideradas não alergênicas e utilizadas em casos graves ou em pacientes com alergias alimentares múltiplas. Aquelas com proteína extensamente hidrolisada são quase sempre eficazes nos casos mais simples de alergia.

Evolução: a duração do tratamento depende do tipo de alergia. A alergia à proteína do leite de vaca normalmente desaparece nos 3 primeiros anos de vida. O período de eliminação do alérgeno é de normalmente 1 ano.

Bom, vale sempre lembrar que um nutricionista é sempre um dos profissionais mais indicados para ajudá-los com esses probleminhas, caso eles venham a surgir com vocês, seus filhos ou algum conhecido.

Até a próxima!

Fonte:  ANutricionista.Com - Ana Catarina P. de Aquino Andrade - CRN6 7128 - Nutricionista em Recife.

Terapia Nutricional em pediatria. Simone Morelo Dal Bosco. Ed.Atheneu, São Paulo, 2010.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário