A Relação entre Nutrição Materna e o Desenvolvimento Fetal

por Nutricionista Audrey Chaves dos Santos - CRN3 13405

Os estudos sobre a relação existente entre o estado nutricional e o resultado da gestação têm merecido a atenção dos pesquisadores, e sabe-se que a inadequação nutricional da mãe tem uma grande influência nas condições ao nascer, pois o período gestacional é uma fase na qual as exigências nutricionais são elevadas em comparação ao período pré-gestacional visando permitir os ajustes fisiológicos no organismo materno e o desenvolvimento fetal. Com isso teremos boas condições de nutrição na vida intra-uterina, tendo maior chances de iniciar suas vidas em melhores condições de saúde física e mental.

O prognóstico de uma gestação é influenciado nutricionalmente pelo estado materno antes da concepção e por toda a gestação. O cuidado nutricional deve ser, portanto, iniciado o mais precocemente possível, mesmo na fase inicial da gestação, a deficiência de nutrientes pode ocasionar comprometimento do desenvolvimento fetal.

A alimentação da mãe deve incluir fontes adicionais de calorias, proteínas, minerais e vitaminas em quantidade suficiente para assegurar a produção e composição adequadas de leite. A ingestão de líquidos deve ser pelo menos 2 (dois) litros por dia. A alimentação da mãe deve ser suficiente para garantir a produção adequada de leite, tanto em qualidade quanto em quantidades, para que não haja uma diminuição de suas próprias reservas.

As necessidades de nutrientes pode ser feitas com o consumo diário de:

- 6 a 11 porções de pães, cereais, massas, arroz ou outros grãos;

- 2 a 4 porções de frutas;

- 3 a 5 porções de vegetais;

- 2 a 3 porções de carnes, aves, peixes, feijão (leguminosas), ovos ou nozes;

- 2 a 3 porções de leite, iogurte, queijo e outros laticínios;

A importância das vitaminas no desenvolvimento da gestação:

Vitamina A: importante para o desenvolvimento da pele, mucosas, retina dos olhos aumentando a resistência do organismo. A carência provoca problemas no crescimento, na pele, nas vistas e no peso. Essa vitamina encontra-se na gema de ovo, leite e seus derivados, espinafre, fígado, tomate, chicória, cará, abóbora e mamão;

Vitamina B1: com essa vitamina a glicose é transformada em energia, ajudando o metabolismo materno e fetal. A carência provoca fraqueza muscular da mãe, perda de peso, problemas cardiovasculares. Essa vitamina encontra-se em cereais integrais, carnes de porco, lentilhas, nozes, frutas, ovos, legumes, gema de ovo, soja;

Vitamina B6: auxilia no crescimento do feto e no ganho de peso, com maior atuação no segundo semestre da gestação. A carência causa irritação na gestante, dermatite, baixo peso fetal, lesões nas mucosas. Essa vitamina encontra-se trigo, carne bovina e suína, leite e derivados, cereais integrais, fígado, batata, frango, banana, peixe, leveduras;

Vitamina B12: auxilia na formação dos glóbulos vermelhos. A carência pode provocar anemia, irritação, distúrbios gástricos, depressão nervosa. Essa vitamina encontra-se nos ovos, peixe, fígado e rim de boi, aveia, ostras;

Vitamina C: auxilia na formação do colágeno, tem importância na conservação dos vasos sanguíneos e tecidos, é importantíssimo na absorção do ferro no organismo fortalecendo assim o sistema imunológico. A carência causa problemas na pele e gengivas, enfraquece as defesas imunológicas da gestante, fragiliza o tecido vascular. Essa vitamina encontra-se na acerola, nabo, espinafre, limão, abacaxi, goiaba, laranja, caju, mamão, tomate, alface, cenoura, agrião, pimentão;

Vitamina D e E: auxilia as células que transportam oxigênio, essa vitamina aliada ao sol ajuda na fixação do fósforo e cálcio nos dentes e ossos. A vitamina E ajuda o metabolismo muscular, é antioxidante e ajuda na fertilidade. A carência pode provocar problemas nas gengivas e na pele, raquitismo. Essa vitamina encontra-se no leite, gema de ovo, óleo de fígado de peixe, manteiga e raios solares;

Ácido Fólico: ajuda a forma células brancas e vermelhas do sangue, essencial durante  a gestação para ajudar na produção aumentada do sangue, necessária para o feto e a placenta. A carência causa má-formação do feto. Essa vitamina encontra-se nas verduras verde-escura, como por exemplo, o brócolis e fígado, leguminosas, melão, banana;

Ferro: é necessário para formação das células vermelhas do sangue, essas carregam oxigênio para todas as partes do corpo. A carência pode causar fraqueza, fadiga, tonturas, anemia materna. O ferro encontra-se no fígado, carnes vermelhas, fígado, peixes, frutos do mar e aves, ameixa e outras frutas secas, feijões, hortaliças folhosas, como por exemplo, a couve;

Magnésio: auxilia no funcionamento celular, ajudando para formação e o crescimento dos tecidos. A carência pode causar fadiga. O magnésio encontra-se na soja, frutos do mar, nozes, cereais integrais, cacau, ervilhas e feijões;

Cálcio e Fósforo: auxiliam quando os ossos do bebê estão endurecendo e os dentes estão se formando. A carência pode causar malformação dentária e óssea e na gestante cãibras e gengivite. O cálcio encontram-se na gema do ovo, cereais integrais, leite e derivados e o Fósforo encontram-se em carnes magras;

A gravidez é um momento especial em sua vida. E a boa nutrição é, agora, mais importante do que nunca. Mulheres com uma nutrição adequada durante a gravidez têm menos complicações e dão luz a bebês maiores e mais saudáveis.

Fonte:  ANutricionista.Com - Audrey Chaves dos Santos - CRN3 13405 - Nutricionista no Guarujá.

- ACCIOLY, Elizabeth; SAUNDERS, Claudia; LACERDA, Elisa Maria de Aquino. Nutrição em Obstetrícia e Pediatria. Rio de Janeiro: Editora Cultura Médica, 2.002.
- BORIGATO, Eliana V. M.; MARTINEZ, Francisco E. Conteúdo de Ferro na Dieta do Lactente Cozida em Panela de Ferro. Jornal de Pediatria, volume 71 (2), 1.995.
- BRASIL, Anne Lise Dias; DEMARCHI, Ana Lúcia Gomes. Nutrição na Gestação e na Lactação. Capítulo 11. In. LOPEZ, Fábio Ancona; BRASIL, Anne Lise Dias. Nutrição e Dietética em Clínica Pediátrica. São Paulo: Atheneu, 2.003. p. 03-14.
- MARTINS, Cristina. Nutrição na Gestação - Saúde para Você e seu Bebê. São Paulo: Editora Metha Ltda, 2.003.
Importante: As informações fornecidas não são individualizadas, portanto, um nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar uma dieta. O artigo acima expressa a opinião do autor e pode NÃO refletir a opinião do site ANutricionista.
Você é novo por aqui?

Receba nossas dicas por e-mail

Deixe seu Comentário

This website uses IntenseDebate comments, but they are not currently loaded because either your browser doesn't support JavaScript, or they didn't load fast enough.

Deixe um comentário